Carta 09 - O que te faz feliz - por Victor Magalhães.

Desde as primeiras civilizações, o ser humano busca a felicidade. Ao longo dos séculos, muita gente procurou esse ideal de forma incessante e incansável. Muitas delas fracassaram, se perderam, e, principalmente, se enganaram, ao tentarem ser felizes.
Ao longo das últimas décadas, muitos livros foram escritos (e ainda serão) sobre como ser feliz. Mas, este texto não tem como função lhe dizer como ser feliz ou como atingir esse objetivo. Se fosse tão fácil assim, não existiria tanta gente frustrada no mundo, não é mesmo? Não quero ter essa pretensão. Sabe por quê? A felicidade é um despertar. Não é algo que se aprende lendo em livros, não é algo que está na sua carreira, nos seus filhos ou nas suas relações afetivas. Isso é fuga. Existem atalhos, caminhos, mas tudo que precisamos está dentro, nunca fora. A sua tão sonhada felicidade está dentro de você, dentro de mim, dentro de nós. Todavia, estamos cegos. Enxergamos com os olhos da razão, mas feliz é aquele que sente, e não aquele que pensa.
Quando você pensa, acha que a felicidade é ter um bom emprego, uma carreira sólida, filhos lindos e um relacionamento perfeito, como num comercial de margarina. A publicidade vende bem esse ideal, a televisão, os filmes. Os meios de comunicação tem uma parcela de culpa nisso. Veja menos TV, fará bem a sua sanidade mental.
Aquele que sente, acha que felicidade é aquilo que faz seu coração bater mais forte, que não se prende aos conceitos sócio-culturais, que não se importa com os modelos impostos pela sociedade, apenas se deixa ser guiado pelo seu coração.
Mas, o que impede muita gente de ser feliz é o medo. Segundo Edward Bach, ele diz que o “medo naturalmente aumenta na proporção que damos importância as posses materiais (sejam do próprio corpo ou de riquezas exteriores).”
O materialismo nos faz reféns de nós mesmos. Nós somos o nosso próprio algoz. Somos escravos de um estilo de vida caótico e doentio, escravos de relações abusivas, do emprego massante etc. Quantas pessoas você não vê numa segunda-feira esperando pela sexta? Estamos vivendo de intervalos, de finais de semana, das férias de 15 dias duas vezes por ano e quando você vê, a vida passou e não foi feliz.
Claro que precisamos trabalhar, ter uma casa, um mínimo de conforto, entretanto, não podemos ser escravos disso. Muita das coisas que temos, podemos viver sem.
Osho diz que nossa vida é um conjunto de crenças transmitidas pelos outros, pela sociedade, que impõe isso antes mesmo de nascermos. A felicidade não pode ser dada a você, porque ela está em você. Esqueça os outros, suas crenças, seus padrões, seus ideais. São deles, não seus.
A gente começa a perceber que para sermos felizes, não precisamos de muito. Entretanto, é difícil tirar o véu da ilusão, do materialismo, dos grilhões mentais que nos aprisionam dentro de nós mesmos, onde somos o nosso próprio carrasco. Contudo, ter consciência disso já é um grande começo. A busca é o início de qualquer jornada. Só de ter vontade de ser feliz, já está fazendo muito. Então, não espere para ser feliz no final de semana. Você pode ser feliz numa terça-feira nublada. Sua felicidade não depende de agentes externos. Não precisa esperar por suas férias. Não viva de intervalos. Então, o que te faz feliz? Pense e busque esse ideal. Reflita, mas, o mais importante de tudo: sinta. Não viva para os outros, viva por você.

Carta 09 - Felicidade. Um estado de espírito - Por Victor Magalhães

Movido pelo som do Kings of Leon, resolvi falar sobre felicidade de forma bem despretensiosa e informal. Muitas coisas movem o mundo, mas, o que a maioria das pessoas quer, conscientemente ou não, é ser feliz. Disso, não há dúvidas. Mas, que tipo de caminhos percorremos para alcançar a tão desejada felicidade?
Através de observações e leituras, tenho notado que, a maioria das pessoas, inclusive eu, busca a felicidade no outro e em agentes externos. A felicidade, para muitos, está no casamento, nos filhos que irão ter, no relacionamento ideal, na pessoa ideal ou no emprego dos sonhos. Entretanto, tudo isso apenas desperta o que já existe dentro de cada um. A felicidade é um despertar. Entretanto, é um despertar que independe de agentes externos.
E, por conta dessas ilusões, nos enganamos. Nos prendemos a relacionamentos destrutivos, mantemos aquele emprego que nos faz mal por medo de sermos infelizes, de ficarmos sozinhos e, no final das contas, acabamos ficando no estado que mais tememos. É normal pensarmos assim, porém, anormal é não refletir acerca disso. Não existe uma fórmula sobre a felicidade. Se existisse, não existiram tantas doenças atualmente. E essa é a delícia e a dor de sermos humanos. Não existe um caminho. Nós testamos, caímos, aprendemos e, no meio disso, aprendemos a sorrir.
Um dos caminhos para a felicidade é o desapego, porque tudo que precisamos está dentro de nós. Por isso, a felicidade é um despertar. Quando nos tornarmos mais amorosos, com menos ódio, rancor e sentimentos ruins, a felicidade começa a brotar. E o meio para deixá-la desabrochar é desapegar-se. Não existe fórmula. A meditação é um importante aliado para soltar e desapegar-se. Nada nos pertence. A posse é uma ilusão. A felicidade é um processo, um exercício diário para desnudar o véu que nos ilude e nos torna ignorantes acerca de nossa divindade.

Mystic Fair 2014

A Mystic Fair do Rio de Janeiro 2014 foi sensacional. Atendi muito, dei palestra, revi amigos, abracei alguns alunos e tirei fotos com pessoas queridas. 
À você Rubia, o meu muito obrigada pelo convite e pela organização. Sua atenção e simpatia contribuíram muito para o sucesso do evento. Até a próxima...




















A minha palestra sobre As Cartas Ciganas e o autoconhecimento foi muito proveitosa, pois apresentei a visão holística nos meus atendimentos e como faço para facilitar o processo de autoconhecimento dos meus clientes, através das cartas ciganas. As pessoas que assistiram puderam interagir, tirar as suas dúvidas e me conhecer pessoalmente. Adoro estes encontros. 















Eu e Adriana Padula
Eu e Bebel Ramos
Tive o privilégio de atender com as minhas queridas alunas. 

Que emoção. Alegria total.

Muito orgulho. 

Eu e Catia Oliveira 
Parabéns à todas vocês pelo excelente trabalho com As Cartas Ciganas. 

Espero ter vocês do meu lado nos próximo eventos. 


Após encerrar os atendimentos, pude "estar" com as minhas amigas (do coração) para rirmos juntas. O meu agradecimento à Chris Wolf, Julia Tourinho e Adriana Padula por acolherem as minhas ideias e participarem dos eventos: 

CARTAS NA MESA;  
AS CARTAS CIGANAS E AS TERAPIAS HOLÍSTICAS;
AS CARTAS CIGANAS TE REVELAM;
MESA REDONDA SOBRE AS CARTAS CIGANAS.

Temos muito trabalho pela frente. 



Feliz por mais um evento bem sucedido. Nos encontraremos na próxima Mystic Fair. Até lá. 

NÃO ME DELETE, POR FAVOR - Por Luciana Chardelli

Publicado em artes e ideias por Luciana Chardelli - 13.02.2014.

“Estamos todos numa solidão e numa multidão ao mesmo tempo.” (Zygmunt Bauman).

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman declara que vivemos em um tempo que escorre pelas mãos, um tempo líquido em que nada é para persistir. Não há nada tão intenso que consiga permanecer e se tornar verdadeiramente necessário. Tudo é transitório. Não há a observação pausada daquilo que experimentamos, é preciso fotografar, filmar, comentar, curtir, mostrar, comprar e comparar.

O desejo habita a ansiedade e se perde no consumismo imediato. A sociedade está marcada pela ansiedade, reina uma inabilidade de experimentar profundamente o que nos chega, o que importa é poder descrever aos demais o que se está fazendo.

Em tempos de Facebook e Twitter não há desagrados, se não gosto de uma declaração ou um pensamento, deleto, desconecto, bloqueio. Perde-se a profundidade das relações; perde-se a conversa que possibilita a harmonia e também o destoar. Nas relações virtuais não existem discussões que terminem em abraços vivos, as discussões são mudas, distantes. As relações começam ou terminam sem contato algum. Analisamos o outro por suas fotos e frases de efeito. Não existe a troca vivida.

Ao mesmo tempo em que experimentamos um isolamento protetor, vivenciamos uma absoluta exposição. Não há o privado, tudo é desvendado: o que se come, o que se compra; o que nos atormenta e o que nos alegra.

O amor é mais falado do que vivido. Vivemos um tempo de secreta angustia. Filosoficamente a angustia é o sentimento do nada. O corpo se inquieta e a alma sufoca. Há uma vertigem permeando as relações, tudo se torna vacilante, tudo pode ser deletado: o amor e os amigos."

Nota: excelente texto para uma bela reflexão. Nos meus atendimentos as pessoas expressam a solidão por não conseguirem aprofundar os seus relacionamentos. Tudo é passageiro. E tudo é rápido demais. Não há tempo para "sentir". 

Você deleta (10) as pessoas do seu convívio? 
Você se aprofunda (34) nas relações? 
Ou tudo é festa (20)?
Como você faz com contato (25) com você e com o outro?
Como você se expressa (27)? 
Como você se relaciona (25)? 
Como você ama (24)?
Você se sente ansioso (06)?
Você se sente sozinho (19)?
Você se sente em paz (30)?

Apenas uma reflexão...

Carta 16: Mediunidade. E agora? - Por Victor Magalhães

A mediunidade tem se tornado comum nos dias de hoje. Muito tem se falado sobre o assunto e as pessoas estão com a mente mais aberta, menos preconceituosas em relação a isso, todavia, é um tema que precisa ser muito bem estudado, principalmente se você for médium ostensivo. Na verdade, todos nós somos médiuns, uns em maior grau, outros nem tanto.
Mas, o que é ser médium?
Ser médium é ser um meio, um canal ente o plano sutil e o material, apenas isso. Quando a mediunidade desabrocha, a capacidade de  trocar informações entre os planos é maior. E a mediunidade mal trabalhada pode causar sérios problemas, assim como qualquer outra coisa que não seja bem feita. É importante ressaltar que, a mediunidade não tem nada a ver com religião. A religião é apenas uma organização social, visto que, do outro lado, não existem bandeiras, fronteiras, religiões, são todos UM. Porém, aqui na Terra, essa diferenciação acontece por motivos lógicos: cultural, linguístico, étnico, social etc. O espírito encarnado é quem segrega. Não existe religião melhor do que a outra, ou mais eficaz. É só uma forma de se relacionar com os planos sutis. Existem muitos canais para isso: Budismo, Islamismo, Taoísmo, Umbandismo, Espirtismo, Catolicismo etc. Mas, a religião não salva ninguém, muito menos torna alguém melhor.
Se você acha que é médium, primeiro, não se desespere. Segundo, não acredite em tudo que te dizem por aí, inclusive entidades. Não ache porque é um espírito que ele não vá mentir. A diferença entre você e ele, é que você está encarnado e ele não. Ele é seu irmão de caminhada, não está acima de você. Portanto, não tome tudo como verdade, pois ela é relativa. A verdade dele pode não ser a verdade para você.  O trabalho que muitos espíritos fazem é lindo, aconselhando os irmãos encarnados, mas, existem muitos que mentem, zombam, enganam. A dualidade está em todos os lugares, então, fique esperto.
Se você acha que é médium, o melhor conselho que eu poderia lhe dar, seria: Estude.Estude muito, leia sobre o assunto e pesquise várias fontes, não foque apenas em um ou dois autores. Conhecimento é poder.
Seja rebelde, no bom sentido. Jamais aceite ordem de espíritos dizendo que você tem que isso, tem que aquilo. Você não tem que nada. Você não é obrigado a nada, nem missão na Terra você tem. Parece estranho o que eu estou dizendo, mas é frequente ouvirmos dizer que temos uma missão no planeta, que temos que cumprir, mesmo que nos sacrificamos. Dizem isso para não nos acomodarmos, mas, na realidade, nós viemos a Terra para aprender, apenas isso e sermos felizes. Nunca concordei com o sacrifício. Ninguém precisa sofrer para evoluir. A evolução vem através do entendimento, não da dor. O universo não quer que ninguém sofra. Se sofremos é por causa da nossa inconsciência e pouco conhecimento sobre as leis universais.
Outro ponto importante. Não separe espiritual de material. Tudo é espiritual. A matéria é espiritual. A única diferença é o nível, a dimensão, só.
Esqueça o conceito de Deus pregado por muitas religiões. Se você quer saber o que é Deus, estude sobre as leis universais. O universo é justo, não julga, é um conjunto de leis, portanto, quanto mais conhecimento você tiver sobre isso, mais você entenderá sobre Deus e como alinhar sua vida com o plano sutil e evoluir, consequentemente, sofrerá menos. Esqueça sobre os julgamentos, culpa. Não existe um Deus julgando você, seus atos. Não existe nada de errado. Esse conceito é terreno. No universo não existe isso. Você tem aquilo que você emite, portanto, se não está satisfeito, mude a vibração.
A mediunidade é apenas uma ferramenta. Você pode usá-la de diversas formas. Estude sobre o assunto. Hoje, não existe mais desculpa. A informação está em todo lugar. Leia, pergunte, desconfie, seja esperto. Se quer desenvolver sua mediunidade, faça, mas, sem dor, sacrifícios, obrigações. A vida tem de ser divertida. Deus está onde existe felicidade, não onde existe dor.

Carta 11 - O chicote e a magia

Quem tem um chicote na mão tem o poder, o controle e o domínio de uma situação. Pode ser usado para o bem (com atitudes positivas e garra para enfrentar as situações) ou para o mal (disputas, conflitos, manipulações, controle).

Algumas pessoas escolhem não usar o seu chicote em seu benefício, ou seja, não lutam pelos seus ideais, por acreditarem-se fracas, com isso não confiam em seu próprio potencial e acabam sendo dominadas por outras pessoas. 

Algumas pessoas são guerreiras, correm atrás dos seus sonhos, constroem um império, lutam obstinadamente por um ideal... quantos exemplos temos por aí. 

O chicote significa o Esforço, a Dedicação e o Empenho para atingir os objetivos de cada um, são os meios utilizados para conquistar o que se quer.  

E sim, esta carta também é considerada como magia. Mas o que é magia??? E o que está por trás da magia?

Magia é INTENÇÃO!!! E intenção é pensamento. É a intenção que move uma atitude. Logo, magia é pensamento. Simples assim. Você pode reunir elementos, fazer um feitiço na lua cheia, crescente, nova ou minguante. Você pode usar ovo, unha de gato, pele de sapo ou morcego. Não importa, o que importa mesmo é a INTENÇÃO por trás de cada magia. O que importa é o que motiva cada pessoa a praticar uma magia...ou simplesmente a força do seu pensamento, sem necessitar usar nenhum elemento. Particularmente considero a visualização uma forte aliada para impulsionar uma ação...e atração, para isso, basta estar receptivo.  

Quando colocamos uma intenção, estamos atentos e focados no momento presente, não sobra espaço para o passado ou presente. Não importa se você vai acender uma vela ou um incenso, ponha uma intenção clara em cada gesto. Já experimentou acender uma vela na intenção de iluminar o seu caminho ou transmutar as emoções desordenadas do seu consulente? 
Já acendeu um incenso na intenção de acalmar o seu pensamento?
Já preparou um chá na intenção de baixar a febre de uma pessoa querida? Já preparou uma comida na intenção de alimentar alguém? 
Já comeu uma maçã na lua cheia, na intenção de aumentar o magnetismo afetivo? Já comeu uva na intenção de atrair mais prosperidade? Tudo isso é magia. 
Este blog não se destina a nenhum tipo de magia, mas a carta 11-chicote nos diz da força de uma intenção. Então proponho que você procure ter boas intenções e que mantenha o seu foco em tudo o que quer, mas empenhe-se, dedique-se, esforce-se para atingir os seus objetivos. Uma magia ou simpatia ou intenção podem ajudar muito. 
Mas atenção, não ponha intenção para impor o seu desejo sobre o outro - isso é magia negra!!! - não tenha a intenção de arranhar a liberdade do outro, respeite o outro como o outro é. Lembre-se que ele é livre, inclusive, para errar. 
Tenha sempre em mente que tudo o que vai volta, então cultive bons pensamentos e direcione intenções positivas na sua vida, para que toda esta energia volte para você.

Magia é VONTADE!!!! Quando temos vontade, colocamos a nossa atenção e intenção para movimentar uma questão, mas não se deve impor a sua vontade sobre o outro - isso é manipulação!!! - respeite o outro e aceite que o outro tem vontades contrárias as suas. É natural que você tenha vontade de evoluir, de aprender, de se libertar, mas preste atenção ao ditado: "cuidado com o que você pede, você pode conseguir". Se você tem vontade de fazer magia, faça, mas muito cuidado com o que você pede. Lembre-se que na vida, sempre há, consequências.

Magia é SILÊNCIO!!! Quando se faz uma magia, o silêncio é fundamental, não saia gritando aos quatro ventos que você fez magia e como você a fez. Isso enfraquece - e muito - o resultado da sua magia.

Então, meu caro leitor, cultive bons pensamentos e intencione coisas boas para você: amor, saúde e prosperidade em todos os níveis. Use o seu chicote para o bem e para a sua evolução.




Carta 15 - O Urso (o instinto humano)

Quero falar sobre o lado instintivo da natureza humana, do lado que permanece em estado bruto, como uma joia que ainda não foi lapidada. 

Este post é um convite para você olhar, sem julgamento, para o seu lado selvagem e brutal, pois cada um precisa desenvolver um aspecto em sua personalidade. Este é o primeiro passo para a compreensão de que todos possuem limitações. Assim fica mais fácil aceitar o outro e ter uma convivência mais harmônica. 

Pelas lições que a vida dá, qualquer pessoa pode se melhorar, através de algumas situações (doenças, assaltos,  perdas..) e, principalmente, pelos relacionamentos. Mas não preciso passar por um sofrimentos, basta observar mais. 

A intensidade (e suas manifestações) variam, mas todos sentem inveja, ciúmes, já foram agressivos alguma vez, já se sentiram envaidecidos. Quem nunca enfrentou um luto ou uma depressão? 

Sugiro uma auto reflexão sobre si mesmo, para um entendimento melhor a força voraz desta carta. Esta é uma oportunidade de você identificar que tipo de energia você emana e que tipo de pessoas você atrai para os seus relacionamentos. 


Ego/Orgulho/Vaidade/Soberba/Arrogância/Narcisismo:
Pessoas com o ego inflado apreciam muito serem admiradas para alimentar a sua auto-afirmação. Gostam de se sentirem os donos da verdade, de se sentirem superiores, maiores e melhores que os outros e, é claro, que os holofotes estejam voltados para si, pois anseiam, constantemente, por aplausos. Acabam atraindo pessoas dependentes ou submissas em seus relacionamentos.
O orgulho é a convicção interna de sua superioridade e a vaidade busca por admiração externa para sentir-se elevado, por isso se expressam com arrogância e soberba. "O orgulho é silencioso e a vaidade é faladora".
Pessoas assim ainda não aprenderam que todos são iguais, que todos estão neste planeta para evoluir e que a humildade pode ser vivenciada com naturalidade.  

Link sugerido:
http://www.bugei.com.br/artigos/index.asp?show=artigo&id=74


Ostentação
Pessoas que valorizam as aparências e gostam de ostentar o que possuem, tem a necessidade de "mostrar" o que tem, o bom carro que dirige, as marcas das roupas que usa, o relógio caro...no fundo sentem um vazio interno que procuram preencher e se sentem mais seguras pelas "etiquetas" que usam para se sentirem aceitas em um grupo, por isso, em seus relacionamentos, costumam atrair pessoas interesseiras, que só visam o externo ou o que elas tem para oferecer de material, porém no momento da dor, encontram-se sozinhas, porque dão tanta importância as aparências que não sabem (ou não querem) entrar em contato com o seu íntimo e com o íntimo das pessoas que as rodeiam.
Essas pessoas ainda não aprenderam a auto-valorização, ainda não se aceitam pelas pessoas que são de fato, ainda não sabem se aceitar do jeito que são, por inteiro, com suas qualidades e defeitos. 


Inveja
Pessoas invejosas querem o que o outro tem, sem levar em consideração o tempo de dedicação que o outro levou para conquistar os seus objetivos, também não consideram o esforço que
o outro utilizou no desenvolvimento dos seus próprios recursos para chegar onde chegou. Por isso sentem-se constantemente frustradas...e infelizes, porque procuram eliminar a concorrência, através da crítica, da manipulação, rivalidade ou vingança. 
Pessoas assim não tem autoestima e se julgam incompetentes, não confiam em si mesmas e ainda não aprenderam a usar os seus recursos internos para conquistar o que querem e, que, o outro seja, apenas, uma fonte de inspiração. 

Link sugerido: 
http://id.discoverybrasil.uol.com.br/inveja-um-sentimento-que-sucumbe-a-infelicidade/
http://www.personare.com.br/inveja-sinal-de-alerta-para-a-autoestima-m2705


Ciúme
Pessoas ciumentas possuem constantemente o medo (real ou imaginário) de perder a pessoa amada. Se sentem inseguras e odeiam tudo que gira em torno do parceiro(a), como familiares e amigos. Vasculham a carteira, o celular, as redes sociais, por isso acabam se tornando dependentes emocionalmente. Por não terem autoestima são dominadoras, querem controlar o outro, fazendo exigências, chantagens emocionais e manipulações vãs, no intuito de manter o outro sob o seu poder.
Pessoas assim ainda não aprenderam a relaxar e sobretudo, não aprenderam a confiar em si (e no parceiro).

Link sugerido:
http://www.brasilescola.com/psicologia/ciumes.htm


Falsidade
Mentir faz parte da natureza humana, ainda mais na sociedade em que vivemos, onde as aparências são mais valorizadas do que o valores morais. Por mais verdadeira e honesta que a pessoa seja, vez por outra, acaba falando uma mentirinha, mesmo que seja um mentira bem inocente. 
Neste momento coloque a mão na consciência e seja bem honesto consigo mesmo, não se engane, não use o artifício de não querer se enxergar. 
Quantas vezes você não foi franco consigo mesmo e com o outro? Quantas vezes você fingiu estar bem, mas no fundo só queria um colo para chorar? 
Quantas vezes você disse sim querendo dizer não? 
Quantas vezes você traiu e enganou o seu parceiro(a)?
Quantas vezes você foi infiel? 
Lembre-se das canções: 
"Quantas mentiras você teve que cometer?" Oswaldo Montenegro
"Mentir para si mesmo é sempre a pior mentira" Renato Russo
Os dissimulados desenvolveram este tipo de recurso, talvez na infância, pelo medo da punição ...ou da rejeição.
Pessoas assim ainda não aprenderam a ser francas e espontâneas consigo mesmas e com o outro. 


Preconceito
O pré-conceito é não aceitar que as pessoas sejam diferentes, é o apego excessivo as suas próprias ideias, sem considerar o livre arbítrio que todos possuem. O preconceito gera um comportamento hostil e muitas das vezes agressivo, o que mantém uma barreira intransponível. Pessoas preconceituosas possuem muito apego aos seus próprios conceitos, por isso acabam discriminando e segregando o que é diferente, querem impor o seu sistema de crenças e rejeitam o que é diferente de si. Estão tão presas aos seus valores que perdem valiosas oportunidades de se abrirem para o novo, de crescerem enquanto indivíduos, por se recusarem a aceitar e a conviver com pessoas diferentes (e maravilhosas).

Os preconceitos mais comum são: o social, o racial e o sexual.
A classe A que não se mistura com a classe B e que despreza a classe C. O gestor de uma empresa que não cumprimenta a faxineira. Muitas das vezes uma pessoa humilde possui a sabedoria (e experiência de vida) que uma pessoa de uma classe superior não possui. Sou gentil com todos, do pobre ao rico. 
Quantas pessoas já morreram em nome de Jesus, Maomé ou Alá? Quantos judeus e ciganos foram perseguidos, torturados e mortos? E quantos já mataram em batalha, apenas para defender a sua própria ideologia ou crença? Acredito cegamente que a primeira lei de Deus é a Liberdade de escolha!! A intolerância religiosa já cometeu crimes bárbaros que estão acima da minha compreensão, por isso não sigo nenhuma religião.
Não torço para nenhum time de futebol (em função de se sentirem pertencentes a um grupo, e pelo dever de serem fieis, quantas torcidas organizadas já se enfrentaram em provocações tolas e brigas vãs?). Também não torço para nenhuma escola de samba (quanto sofrimento quando uma escola adversária atinge uma pontuação superior). 
Confesso que eu não sofro destas paixões. Para mim tudo é valido. O racismo, AINDA, nos dia de hoje, me deixa chocada. A cor da pele pode até ser diferente, mas o coração e o sangue possuem a mesma cor. E o que dizer da cor da alma??? Qual é a cor da sua alma, pela energia que você emana? 
Homofobia (quantos gays (e travestis) já foram espancados até a morte, sem chance de defesa, pela intolerância machista? A covardia é implacável). Desde o início da civilização humana a homosexualidade existe. Prefiro (mil vezes) um homosexual que tem a coragem (e a alegria) de amar do que uma pessoa preconceituosa que se julga melhor ou superior, portanton não ama.
Pessoas assim ainda não aprenderam a equilibrar as diferenças e a respeitar a liberdade do outro. É preciso resistir a tentação de impôr o seu estilo de vida. Respeito é fundamental para que os relacionamentos funcionem bem. Não julgar para não ser julgado. É possível discordar, sem condenar, sem humilhar e sem rejeitar o outro. É possível aceitar o outro no exercício da sua liberdade. É possível viver em harmonia. É possível viver em paz. 



Agressividade
Pessoas agressivas cometem atos violentos, através das palavras que causam danos emocionais ou do combate físico, que geram lesões corporais, às vezes irreversíveis. 
Veja o caso da Maria da Penha que levou um tiro do marido que a deixou paraplégica, porém seu sofrimento não foi em vão. Seu nome virou lei de proteção contra a violência dirigida as mulheres. Veja o caso de abusos contra as crianças. Muitos pais espancam (e extravasam a sua violência) em nome da educação que dão aos filhos. O que eles pretendem ensinar, através da agressividade?
Quantos animais são torturados (até a morte) pelos seus donos?  
Quantas pessoas idosas sofrem maus tratos (e abandono) por seus filhos ou por quem deveria cuidar deles?

Quantas pessoas se agridem (na auto-condenação), se mutilam na tentativa de conter o mal que mora dentro delas e que as aflige? A autoflagelação é o comportamento que pretende exterminar com o mal que reside dentro de si. 
O impulso é mais forte do que o autocontrole. O ataque é a melhor defesa para as pessoas que utilizam a intimidação para se expressar e para se sentirem no poder. A aspereza das palavras fere e afasta as pessoas. 
Pessoas assim ainda não aprenderam a dominar o seu impulso violento, não aprenderam o autocontrole e não aprenderam a relaxar.


Depressão/Luto
Em tempos difíceis o urso precisa hibernar, para se recuperar de uma fase difícil (separação, perda de um emprego), por estar exausto e precisa se recolher para descansar ou por se sentir completamente sem forçar para caçar (ou lutar). O desanimo é generalizado, falta forças e vontade de prosseguir. A Desistência e o auto-abandono se instalam. Só quem já passou por uma depressão sabe exatamente o que é se sentir assim.
Sentir tristeza é normal, mas lembre-se: "A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional". 

Não é fácil lidar com a perda, principalmente quando a perda se refere a alguém que se ama, seja por uma separação ou por um desencarne. Não somos ensinados a perder, por isso muitos se sentem fracassados nos relacionamentos que não deram certo, culpados pela falta de atenção ou exauridos por tanta dedicação que foi em vão. A dor da perda deve ter um prazo de validade para não prolongar o sofrimento. Além do mais, a vida nos empurra a seguir a diante. 
Pessoas que se sentem constantemente deprimidas devem buscar uma ajuda terapêutica, devem encontrar prazer em uma atividade, seja em um esporte, em uma dança, na prática do yoga...devem aprender coisas novas e a acreditar que novos dias virão, pois o instante de ser feliz é o agora.

"Há sempre o momento de pedir ajuda, de se abrir, de tentar sair do buraco. Mas, antes, é imprescindível passar por uma certa reclusão. Fechar-se em si, reconhecer a dor e aprender com ela. Enfrentá-la sem atuações. Deixar ela escapar pelo nariz, pelos olhos, deixar ela vazar pelo corpo todo, sem pudores. Assim como protegemos nossa felicidade, temos também que proteger nossa infelicidade. Não há nada mais desgastante do que uma alegria forçada. Se você está infeliz, recolha-se, não suba ao palco. Disfarçar a dor é dor ainda maior". Martha Medeiros.



Paixão desenfreada
Algumas pessoas não controlam os seus sentimentos, seja por alguém, por um time de futebol, por uma religião, por uma escola de samba, por um partido político, por um ideal. O sentimento de pertencimento é tanto, que o outro passa a ser a extensão de si mesmo, isso serve para a relações simbióticas, que aprisiona ao invés de libertar.
"Exagerado, jogado aos seus pés, eu sou mesmo exagerado".
Há uma força incontrolável....qual é o limite?
Pessoas assim ainda não aprenderam a sentir as emoções com tranquilidade.



Compulsão
Algumas compulsivas precisam preencher um vazio dentro de si, por isso desenvolvem uma compulsão alimentar, sexual, por um esporte, por um vício, por comprar. Pessoas assim, engordam, se endividam, se autodestroem...sofrem muito e geram muito sofrimento. Pessoas compulsivas devem aceitar que precisam de ajuda psicológica para lidar com a compulsão, para aprender a se controlar e a diminuir o vazio interno. Onde está o limite?
Pessoas assim ainda não aprenderam a enxergar as suas potencialidades, ainda não descobriram a sua riqueza interna, os seus verdadeiros talentos. 


Mente quem diz que não sente ou nunca sentiu ciúme, inveja, depressão ou afins. Somos humanos, não robôs, a questão é "como" cada um reage diante do que está sentindo no momento e como desenvolve um tipo específico de comportamento.

Por isso é importante estar conectado com o seu próprio mundo interno. É importante ter empatia pela dor do outro, é importante cada um buscar o seu aprimoramento pessoal, reconhecer as próprias deficiências para transformar o instinto humano em evolução. É importante descobrir o seu próprio potencial. 

Carta 04 - A Casa - Por Tânia Durão

Casa dos 7 erros - Petrópolis/RJ
A casa - Vinicius de Moraes

Era uma casa muito engraçada
Não tinha teto não tinha nada 
Ninguém podia entrar nela não Porque na casa não tinha chão
Ninguém podia dormir na rede
Porque na casa não tinha parede
Ninguém podia fazer pipi
Porque penico não tinha ali
Mas era feita com muito esmero
Na Rua dos Bobos Número Zero"

"Home sweet home" - A casa ou o lar é a extensão do ser, do lado interno de cada um. O estado da casa reflete como o morador está se sentindo por dentro e como ele "cuida" de si mesmo e do seu espaço. Como está a sua casa? externa e interna? 

Olhe em volta, sua casa é austera ou descontraída? 
está bagunçada ou arrumada? 
tem claridade? É colorida?
as janelas costumam ficar abertas para entrar um vento? 
há um jardim ou flores na sala? 
tem algum animal? como ele está? perece feliz ou está cansado?
tem algum móvel pedindo reparo ou pedindo para se aposentar? 
E aquele tapete surrado? O sofá está rasgado ou manchado? 
Qual foi a última vez que você lavou as cortinas? 
Há algum eletrodoméstico quebrado? 
você costuma guardar ou acumular coisas que não usa mais? 
Ou costuma selecionar o que não serve mais para doação? 

Qual foi a última vez que você olhou para a sua casa? Você costuma se olhar internamente? Você olha para as pessoas que convivem com você?


Você cuida excessivamente da sua casa? Tem mania de limpeza? Não pode ver um copo repousando na pia que já se sente desconfortável? reclama ou grita para quem usou o copo para lavá-lo imediatamente? Quer tudo limpo, arrumado e nos mínimos detalhes? 

Palácio de Madalena - Santander - Espanha
Como você se sente quando chega em casa? Se sente confortável e acolhido? aconchegado? Ou não sente vontade de voltar para a casa e passa mais tempo na rua? Há muita briga em casa? Ou nem liga para a casa, não dá a mínima mesmo? Você deixa a casa sob o comando de outra pessoa? Como você "cuida" da sua casa? Como você "cuida" de você?



Você costuma receber amigos na sua casa? Qual foi a última vez que você fez aquele fondue? ou aquele queijos e vinhos? Qual foi a última vez que você convidou os seus amigos para assistir uma partida de futebol, regada a cervejinha gelada? Já preparou um chá da tarde para as amigas? Confesso que adoro receber os meus amigos e preparar um chá cigano (http://ascartasciganas.blogspot.com.br/2013/01/as-cartas-ciganas-em-grupo-e-o-cha.html

Que tipo de ambiente você oferece para as pessoas que convivem contigo e para as pessoas que te visitam? você é atencioso? Como você contribui para viver em um ambiente saudável, leve e alegre? Como é a convivência com a família e os amigos? Você é acolhedor, compreensivo e espontâneo? 


Você mantem a sua casa bem trancada, como se fosse uma fortaleza? Para que ninguém entre no seu espaço físico? Isolado você se sente mais seguro? Por isso não recebe ninguém e não interage com os vizinhos? 

Você é do tipo Rígido ou Radical? Não cede?
A última palavra é sempre sua?

Que tipo de ambiente você gosta de frequentar?

Você percebe o "ambiente" das outras pessoas? Você costuma ser invasivo ou pede licença para entrar? Você é crítico ou aceita as diferenças? 

E como você se comporta em outros ambientes? 
Quando vai na casa de alguém, costuma levar um presentinho? Um vaso com flores ou um vinho? 
No trabalho você é mais competitivo? se sente pressionado e reage agressivamente? 
Na escola/curso/universidade você é simpático com os colegas, faz amizades com facilidade ou você é mais tímido e reservado? 
Na igreja/templo você participa dos eventos, é prestativo ou se isola para não ser incomodado? 
No clube recreativo você se diverte, fala com as pessoas, consegue relaxar ou fica na defensiva?


Equilíbrio é tudo!!! Você costuma manter o equilíbrio diante das diferenças? Como você mantém o seu equilíbrio??

Trilhar o caminho do meio nem sempre é uma tarefa fácil, porém é possível. 

Faça o que for preciso para se sentir em Equilíbrio em qualquer ambiente. 

"Equilíbrio é a habilidade de olhar para a vida a partir de uma 
perspectiva clara - fazer a coisa certa no momento certo.
Uma pessoa equilibrada será capaz de apreciar a beleza e o significado de cada situação seja ela adversa ou favorável.
Equilíbrio é a habilidade de aprender com a situação e de prosseguir com sentimentos positivos. É estar sempre alerta, ser totalmente focado, e ter uma visão ampla.
Equilíbrio vem do entendimento, humildade e tolerância. O mais elevado estado de equilíbrio é voar livre de tudo e, ainda assim, manter-se firmemente enraizado na realidade do mundo."

- Brahma Kumaris

                         


Combinação: 20+24 = A autoestima - Por Luiz Antonio Gasparetto

Fonte: http://universonatural.wordpress.com/2013/10/29/e-hora-de-melhorar-sua-autoestima/

É hora de melhorar sua autoestima 

Quero falar sobre a importância da autovalorização. Por que esse assunto agora? Pois temos sempre que traçar algumas metas. O ponto de partida para realizá-las é se respeitar e se valorizar!

Para começar, tente ampliar a forma de ver o mundo a partir desta constatação: a natureza não se repete. O igual não existe no Universo

Se fôssemos fundo nesse pensamento, mudaríamos nossa maneira de viver, pensar e agir. Jamais nos compararíamos a alguém nem levaríamos a sério os modelos existentes – a mãe ideal, a profissional ideal.
Porém, a sociedade inventou que a gente é igual. Então, você tem de estar dentro dos valores para ser considerada normal. Caso contrário, você não é aceita e torna-se discriminada. Esqueça esses falsos conceitos.

É hora de melhorar sua autoestima e parar de brigar consigo por ter características diferentes. Não há nada de errado em você. Olhe para si com os olhos de Deus – ou seja, como a natureza te fez. Enxergar a vida dessa maneira muda nossa visão sobre nós mesmos e também a maneira de olhar os outros. Aceitar-se é sinônimo de paz interior. Negar algo que é seu significa criar conflito com a própria natureza.

E olhe só que interessante: tudo que negamos em nós mesmos aparece com mais força nas nossas vidas. É lei. Eu pergunto: o que mais te irrita nas pessoas? Falsidade, mentira, mau humor, teimosia? Pois o que te irrita corresponde exatamente ao que você é. É o modo como a natureza chama atenção para nossas limitações.
Por mais estranho que pareça, também podemos negar os pontos fortes. Quando você se apaixona, por exemplo, o que mais te atrai na pessoa é exatamente a qualidade que você rejeita em si. Se você se interessou pelo físico do parceiro, é provável que não esteja dando importância ao próprio corpo.
A vida tem muitos jeitos de mostrar nossa natureza. Será que é melhor se combater? Não. Coloque a paz aí dentro. Diga a si mesma: 

Eu sou o que sou. Cada um que me olhe como quiser. Quero me realizar. Eu me valorizo porque dou atenção aos sentimentos. O importante é que estou comigo mesma e não abro.

Luiz Gasparetto

Método: Mesa Real - O jogo master do Petit Lenormand - Por Daniela


Olá amigos! 

A Mesa Real é o método mais avançado utilizado no Petit Lenormand. Esse jogo mostra, de forma muito abrangente, a vida do consulente em todas as áreas: saúde, trabalho, amor, família, etc. Por ser um jogo complexo, recomenda-se aos estudantes que primeiro conheçam bem o significado de todas as cartas e que iniciem seus estudos com jogos pequenos, de 3 e 5 lâminas. Com o tempo, com mais estudo e a prática, vá aumentando o grau de dificuldade dos jogos, utilizando mais cartas, até chegar à Mesa Real.

O Grand Tableau (GT), como também é conhecida a Mesa Real (MR), é um jogo que utiliza as 36 cartas do baralho Lenormand. Nele você está abrindo o "livro da vida" do consulente, fazendo uma previsão que pode variar de 3 a 6 meses. Conheço autores que recomendam que esse jogo deve ser feito num tempo mínimo de 6 meses. Na minha vivência, estipulei a duração de 3 meses para a Mesa Real e respeito muito isso. Não abro um novo jogo antes do período determinado. Se o consulente me pede um novo conselho, faço jogos menores e específicos sobre o tema que ele quer investigar. Com isso amigos, quero lhes aconselhar a não fazerem uma Mesa Real por semana! Cada jogo tem seu tempo e isso deve ser respeitado! 

Aqui no blog, estou vendo que vários ciganinhos já estão se aventurando a abrir a mesa real. Então, vamos fazer uma abordagem sobre esse método e iniciar um estudo específico sobre ele.

Existem diversas formas de abrir a MR e muitas técnicas de leitura. Iremos falar disso aos poucos, separadamente, para não confundí-los. Vale lembrar que não existe uma única forma verdadeira de jogar. Aprendi que o cartomante faz as adequações necessárias a suas cartas, de acordo com SUA necessidade pessoal e, no geral, utiliza técnicas que aprendeu durante a sua trajetória e vivência com o Lenormand. É assim comigo e com certeza é ou será assim com vocês.

Então vamos começar!

Corte


Após embaralhar as cartas, corte em três montes. Vire as cartas e faça a leitura. O corte trás uma mensagem importante sobre o que está acontecendo agora, ou seja, momento do consulente. Ele também dá pistas do que vai ser tratado ou revelado no jogo. Gosto de anotar as cartas que saíram para não esquecê-las. Elas fazem todo sentido depois, no contexto da 36 cartas. Não costumo ler essas três cartas para o consulente. Apenas as olho e guardo a mensagem para mim. Durante a leitura, aí sim eu posso me referir ao corte, confirmando o que está sendo visto nas demais cartas.


Deitar as cartas


Existem diversas formas de deitar as cartas para uma MR. As mais populares são 8x4+4 e 9x4. 









A casa 1 e os cantos


Gosto de começar observando a casa 1. A carta que abre o jogo nos fala sobre a energia do momento. Nela podemos ver por que o consulente veio se consultar e o que aflige sua mente. Combinando com as outras três pontas, poderemos saber a tônica geral do jogo. É uma mensagem inicial que nos ajuda a sentir a mesa.





Localização do consulente


O consulente SEMPRE será representado pela carta 28 (Cigano), se for homem ou pela carta 29 (Cigana) se for mulher. A localização dele na mesa é o ponto de partida deste método e é muito importante. 


As cartas que estão à sua volta nos trazem informações sobre ele. Aqui podemos ver características, a energia que está a sua volta, como lida com a vida, quem ou o que está próximo a ele, etc.





Se o consulente estiver localizado na borda da mesa, como por exemplo, na primeira coluna, significa que ele está com aspirações futuras, com muitos projetos e sonhos. Ele está mais voltado para o futuro, já que não temos cartas atrás dele, ou seja, no passado.


Mas se do contrário, o consulente sair na última coluna, significa que está voltado para coisas que já passaram mas que ainda estão orientando a sua vida. Não consegue se desvencilhar do passado, tem coisas mal resolvidas. Pode ter arrependimentos e pensamentos voltados a situações anteriores, que o impedem de visualizar o futuro ou de ir adiante.


Se o consulente aparecer na primeira linha, significa que está no comando das situações de sua vida. Mas se sair na última linha, simboliza que a vida está "pesada" demais. Está pensando muito, sua cabeça "está cheia". Há um peso grande em seus ombros.





Linhas


Tendo como ponto de partida a carta que representa o consulente, devemos nos localizar na mesa da seguinte maneira:


* cartas à esquerda do consulente: passado

* coluna onde está o consulente: presente
* cartas à direita do consulente: futuro

Seguindo essa regra, observe o gráfico:





A linha "A" refere-se ao passado do consulente. As diagonais, em direção ao lado esquerdo, também falam do passado, sendo "B" passado recente e "C" passado distante.


As cartas que saem em cima do consulente, na linha "D", são seus pensamentos. Nessa coluna temos a situação atual. As cartas abaixo dele, na linha "E", são o presente, o que está acontecendo agora.


No futuro, temos a linha que segue à direita do consulente, letra "F" do gráfico. Na diagonal superior, na linha "G" do gráfico, vemos o futuro imediato. Na diagonal "H" o futuro mais distante.


Recapitulando:


A: passado

B: passado recente
C: passado distante
D: pensamentos - presente
E: situação atual - presente
F: futuro
G: futuro imediato
H: futuro distante

Cartas tema


Localize as cartas tema na mesa real e faça a leitura relacionando as cartas que estão à sua volta. Por exemplo, para saber sobre o amor, observe a carta 24 (Coração) e as cartas que a circundam. Para a saúde, faça o mesmo com a 5 (Árvore), para o casamento a 25 (Anel), para trabalho a 35 (Âncora), para os estudos a 26 (Livros) e assim sucessivamente.





Fechando o jogo


Para fechar o jogo, eu gosto de espelhar as cartas e ir confirmando o que foi visto anteriormente, adquirindo ainda mais alguns detalhes sobre o que foi abordado no jogo. Para isso, pego a carta que está na casa 36, junto com a carta da casa 1 e separo ao lado da mesa. Depois a carta da casa 35 e a da casa 2, e as posiciono abaixo das que separei anteriormente. Faço a leitura dessas quatro cartas. Continuo espelhando e desmanchando o jogo, de quatro em quatro cartas, até fechar totalmente a mesa.





Amigos, esta é uma das formas de ler a mesa real que eu considero muito prática. Aqui abordei técnicas que aprendi ao longo dos anos em que estudo o Lenormand. Tudo que sei deve-se à sede de conhecimento e às boas oportunidades que tive de aprender com grandes profissionais. Essa bagagem tem como origem curso de Baralho Cigano que fiz  com o mestre Emanuel J Santos, do blog Conversas Cartomânticas, que foi quem me iniciou na leitura de cartas. Também aprendi muito com minha mãe de santo, com livros sobre cartomancia e ainda na web, na amizade com Sônia Boechat, Odete Lopes, no blog de Alex Lepletier, Tânia Durão, Cris Wolf e outras fontes riquíssimas que vocês podem encontrar na recomendações de blogs do Cartas Amigas. Achei importante falar isso para fazer os devidos agradecimentos e registrar fontes de pesquisa importantes que agregaram muito nessa caminhada. 


Apresentei de forma abrangente a Mesa Real para iniciar o estudo no blog. Mas ainda tem muito mais a falar! Em outros posts escreverei sobre a Mesa Real com leitura por casas, sobre a técnica da Cavalaria, sobre outras formas de espelhamento, sobre os personagens na mesa... enfim, como já disse, este é um jogo muito complexo e nos trás muitas possibilidades. Então vamos com calma!


Para começar a entender melhor este método e fixar este conteúdo, sugiro um jogo prático, onde em grupo, possamos fazer uma leitura a partir do roteiro apresentado neste texto. Aceitam?


Vou falar sobre isso no próximo post. Acompanhem!


Beijão a todos e bom estudo!

Daniela


Nota de Tânia Durão: 


Cada profissional tem a sua própria maneira de ler a Mesa Real e eu gostaria de comentar a minha maneira de ler.

Planos
Passado
Presente
Futuro
Espiritual ou energético.

01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
Mental ou
emocional.
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
Material ou físico.

33
34
35
36

  

Eu e a Daniela temos uma forma idêntica de ler a Mesa Real, a única diferença que eu encontrei foi quanto aos planos de existência, a saber:

Parte superior: área espiritual: essência do consulente, como é 
                ou como está a alma do consulente. 
Parte central.: área mental..: o que o consulente está pensando. 
Parte inferior: área material: O que já está materializado (ou o que está prestes a se materializar) na vida do consulente. 


Posts sugeridos: