Vídeo da palestra de Alexsander Lepletier na III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas.




Vídeo da palestra de Alexsander Lepletier sobre os lírios (30) .



Vídeos das palestras na III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas.

Palestra de Victor Magalhães sobre os obsessores (11+23). 
Vídeo feito por Alexsander Lepletier





Palestra de Tato Cunha sobre a espiritualidade - carta 19 




                 Vídeo de Katja Bastos sobre os Orixás.






III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas - 25/10/14

Ainda estou me sentindo elevada por tanto aprendizado que recebi ontem na III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas. Foi emocionante. 

Me faltam palavras para expressar a imensa gratidão que sinto a todos os palestrantes, por disponibilizarem o seu tempo em transmitiram os seus conhecimentos e a sua experiência, através dos anos de prática. Foi uma verdadeira troca de informações. Sem vocês, a III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas não teria se realizado. 


Quero registrar um especial agradecimento à Chris Wolf, por não me deixar desistir, por me apoiar e por me dar uma direção quando me sinto frágil ou perdida. 
Sua presença na minha vida, sua doçura constante e sua clareza, me fortalecem. 




Os participantes estavam inteiros em todas as dinâmicas e nos métodos apresentados. Tiraram dúvidas, ganharam brindes e fizeram novos amigos. O meu obrigada à cada um de vocês. 

O clima foi descontraído, de  total união e de entrega. Rimos, choramos, nos presenteamos, nos abraçamos. O dia de ontem ficará guardado dentro do meu coração. 


             Ismenia Woyame e a palestra sobre a carta 34.


                               Chris Wolf e a palestra sobre a carta 09.

Dalila Tiago e sua palestra sobre a carta 04.

Adriana Padula e sua palestra sobre a carta 27.

Julia Tourinho e a palestra sobre a carta 27.

Tato Cunha e sua palestra sobre a Carta 19.


Katja Bastos, a mãe da Escola Brasileira de Baralho Cigano.




Alexsander Lepletier e sua palestra sobre a carta 30. 

Victor Magalhães e sua palestra sobre os obsessores.

Sonia Boechat Salema e sua palestra sobre o método de 3 cartas. 


Emanuel J Santos e os caminhos que se cruzam na Mesa Real.

Luqiam Osahar e sua palestra sobre a carta 15.


Os grandes mestres Katja Bastos e Nei Naiff prestigiaram o evento com a sua simplicidade e simpatia. Foi uma honra ter vocês conosco.

Os sorrisos dos palestrantes demonstram a alegria por termos trabalhado juntos


A "presença" de quem participou da III Mesa Redonda 





"Te ofereço paz, te ofereço amor, te ofereço amizade,
Ouço tuas necessidades, vejo tua beleza, sinto teus sentimentos. 
Minha sabedoria flui de uma fonte superior. 
E reconheço essa fonte em ti. 
Trabalhemos juntos. Trabalhemos juntos."


Obrigada, Tato Cunha, por me oferecer a sua amizade. 






Quero agradecer a nossa patrocinadora, Editora Alfabeto, por ter nos enviado os baralhos para o sorteio. 




E a D. Marluce (9.9425-4313) por ter feito os bolos e os salgados, que fez muito sucesso. Tudo com sabor de carinho. Só elogios. 





Estou com a alma leve por tanta comunhão entre nós, profissionais do Baralho Lenormand/Baralho Cigano/Taro Cigano/As Cartas Ciganas. 

Meu coração ainda está em festa pela amizade construída, pela oportunidade de absorver a sabedoria dos meus parceiros, por sentir paz, harmonia, beleza e mais amor no coração. 
A fonte superior de cada um fluiu entre nós e nos encheu de luz. 
Trabalhemos juntos.

Com o gostinho de missão cumprida, anuncio que já começamos os preparativos para IV Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas que será realizada no no dia 27/06/15. Nos vemos lá. 
























Divinação e não adivinhação

Caro leitor, este post vai te surpreender...ou te decepcionar. 

Pelo meu comprometimento com As Cartas Ciganas e pela minha honestidade com o meu trabalho, venho decepcionar alguns leitores e clientes. 

Não sou vidente, não sou ouvinte, não faço milagres, não sou a dona do destino. Apenas sinto. Sinto arrepios gigantes, sinto sono repentino, sinto tristeza, medo, alegria, angustia. Sinto o que o meu consulente emana quando senta a minha mesa de leitura. E sinto muito, muito mesmo. 

Não sou adivinha, por isso pergunto ao meus consulentes:
- você é casado?
- tem filhos?
- está pensando em viajar?
- quer mudar de casa?

Não, meu caro leitor, não tenho nenhum poder sobrenatural, não vejo alma penada e não ouço espíritos, do alto ou do baixo astral. Apenas observo os meus consulentes e sinto as vibrações emanadas pelas suas emoções. E consegui isso com MUITO treino. Aprendi a sentir, isso mesmo, aprendi com esforço, com leitura para entender, aprendi com muita prática.

Isso não é sobrenatural, pelo contrário, é super natural e simples, basta ampliar a percepção e sensibilidade, para isso é preciso esvazia-se, é como abrir-se para receber o outro. Quando eu preparo a mesa de leitura para uma consulta, eu me esvazio de mim, eu esqueço que tenho contas para pagar ou outras tarefas para realizar. No momento da consulta eu me esqueço de mim, pois a minha atenção está 100% focada no meu consulente. 

É possível treinar o "olhar", o "ouvir" (sem julgamento, é claro) e "sentir na pele" (esse é o meu caso). Permita-se passar pela experiência. Isso é ampliar a percepção. 

Percebemos o mundo através dos nossos 5 sentidos, com o tempo vamos "desenvolvendo" ou ampliando a percepção. Há 3 tipos de pessoas: 
01) as visuais (que tem lembrança fotográfica, que lembram de rostos e lugares com facilidade). 
02) as auditivas (que lembram de sons e músicas com muita facilidade).
03) as cinestésicas - tato (que sentem na pele (é o meu caso), que gostam de ser tocadas e abraçadas). 

É raro encontrar uma pessoa que tenha o paladar e o olfato desenvolvidos, embora eu tenha conhecido um homem com essa faculdade. 

O jeito é  não ter pressa, eu levei muito tempo, mas muito tempo mesmo para me sensibilizar. 

Para quem está começando, recomendo "brincar" com as cartas, ludicamente, sem pretensões, como a carta 13-criança age, para "perceber" a mensagem que elas estão emitindo. 

Fique atento a tudo o que você sente na hora que estiver lendo as cartas, não despreze nada: cheiros, sensações, lembranças, músicas, cenas, ideias....

Outra dica que ofereço, esteja sempre em contato com o seu interior (08-caixão), não negue as suas emoções ou sensações. Assim fica mais fácil entrar em contato com o interior (08-caixão) do consulente. Com o tempo, você vai perceber o outro sem que ele precise falar, você já vai saber (sentir) o que ele está sentindo. Mas tenha o cuidado de não invadir o espaço de ninguém. 

Lembre-se: A nossa alma faz contato conosco através das sensações. 

E por último, JAMAIS julgue um consulente, não somos juízes, somos cartomantes!!! Nós aceitamos, nós não condenamos. Não imponha as suas crenças ou forma de pensar, ok? 

A divinação (tornar divino) é a intuição adquirida com o treino. Acredite no que você percebe, acredite na sua sensibilidade. Acredite na sua intuição. Assim você prestará um bom trabalho e uma consulta de qualidade. Assim o seu divino poderá se expressar. 

Te desejo boas leituras e que a luz que habita em você possa ser emanada. 

Carta 01 - O empreendedor - Por Bel Pesces.

Fonte: Livro: "A menina do vale 2"
Autora: Bel Pesces.
Site: www.fazinova.com.br/legado

Acabo de ler esse livro pequeno, intenso e de fácil entendimento. Ele possui ensinamentos valiosos de como ser um empreendedor de sucesso. Não há fórmulas mágicas, pelo contrário, o livro estimula a curiosidade e ao aprendizado, ao trabalho focado, a ser responsável e comprometido,  ao ouvir o outro e a dizer não.  

Te convido a ler o livro, sem moderação. Pode baixá-lo gratuitamente, pois compartilhar gratuitamente é o compromisso da autora. 





Destaco alguns capítulos que mais me chamaram a atenção e que valem uma leitura mais aprofundada. 


Capítulo 5: Como o empreendedorismo muda você (01)
"Empreender é para quem aguenta viver em meio a incertezas e tem muita resiliência a tombos e tapas na cara. Quando você se joga de corpo e coração nessa tarefa de empreender, esteja certo de uma coisa: você mudará. Empreender te traz uma maturidade única".


Capítulo 7: Encontre pessoas que querem o seu sucesso (31).
"Tem muita gente de coração bom por aí. Algumas delas já passaram pelo que você está passando. Outras podem se identificar muito fortemente com você. E daí elas querem te ajudar. Seja porque tiveram alguém que as ajudou e eles querem passar essa corrente a ditante, seja porque se alguém tivesse as ajudado elas não teriam passado por tantas dificuldades - o fato é que essas pessoas querem o seu sucesso".

Capítulo 8: Compartilhe o seu conhecimento (27)
"Dividir é, na verdade, multiplicar...
...quando você oferece algo de valor gratuitamente a alguém, realmente sem esperar nada em troca, essa pessoa tem uma gratidão especial por você. E essa gratidão se transforma em uma honesta divulgação do seu trabalho".
Nota de Tânia Durão: é o que eu estou fazendo agora. 

Capítulo 13: Aprenda a dizer não (10)
"O não pode ser inesperado e causar algumas dores, mas será honesto".

Atitudes como essas fazem você mudar internamente e fazem você melhorar como ser humano, seja com a sua família, no seu círculo social ou no ambiente profissional. Desejo que você se torne um empreendedor de sucesso.


Dedico este post a Marcia, pela pessoa empreendedora que é, pela sua força, energia e coragem, pela sua clareza, foco e disciplina. Pela sua simplicidade, seus desenhos e suas risadas. 
Obrigada, Marcia, você é uma fonte de inspiração e me ensina muito. 
Eu quero o seu sucesso. 

Webnário da III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas

Foi com alegria que recebi o convite de Alexsander Lepletier (www.lenormando.blogspot.com) para fazermos o webnário sobre a III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas.

Neste encontro falamos sobre:
- a trajetória da Mesa Redonda;
- a programação de 2014;
- os palestrantes;
- o nosso patrocinador - Editora Alfabeto - e os brindes para o 
  sorteio;
- respondemos perguntas e muito mais. 

Apreciem sem moderação. E aguardo vocês na III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas: dia 25/10/14, Av. N. Srª de Copacabana, 769/102.

http://us.twitcasting.tv/midialexrj/movie/105164601

Continuação:
http://us.twitcasting.tv/midialexrj/movie/105166239



Ambulatório Social de Cartas Ciganas - Pelo blog Mente Cigana

Fonte: mentecigana.blogspot.com
Autora: Anna Cecília


Ambulatório Social de Baralho Cigano

Rolou na última quarta (17/09), o Ambulatório Social de Baralho Cigano. O evento promovido por Tânia Durão (oraculista e minha querida eterna professora de Lenormand!) aconteceu no Crystal Healing, no Largo do Machado, no Rio de Janeiro. 

O time de oraculistas que prestou atendimento era composto por Alexandre Federici, Bebel Ramos, Dalila Tiago, Denise Laranjeiras e Anna Cecilia (sim, Eu!). 

Tânia Durão (centro) e os oraculistas do Ambulatório Social
Confesso que estou muito feliz por ter tido a oportunidade de fazer parte desse evento tão enriquecedor tanto como ser humano quanto profissional de Cartas Ciganas. Sem contar que é sempre uma grande alegria encontrar e trocar umas ideias com a Tânia. Também tive a oportunidade de conhecer pessoalmente profissionais e alunos dela que eu já conhecia pela internet. E claro, atender os consulentes (tá aí uma coisa que eu amo fazer...)

Eu concentrada em atendimento


Não deu para ir no Ambulatório Social de Baralho Cigano?  Não fica triste que a previsão é que em 2015 tenha novamente. Mas, não se preocupe porque o que não falta é evento de Tânia Durão para a galera... Para ficar por dentro é só baixar no seu celular o aplicativo As Cartas Ciganas 







Nota de Tânia Durão: Foi emocionante ver a disponibilidade dos meus alunos para participar deste evento. Todos vocês estavam super preparados, atenderam com muita simplicidade, simpatia e intuição. É assim que deve ser. E no geral, o sentimento de alegria que nos atingiu foi muito grande. O meu orgulho é enorme e a minha gratidão é imensa. Gratidão profunda a cada um de vocês. Faremos um Ambulatório Social de Cartas Ciganas por semestre. Acompanhe aqui no blog (aba Agenda), no aplicativo ou na página do Facebook. 

Coombinação: 25 + 24 - Relação Afetiva - Para que server uma relação - Por Dráuzio Varella

Para que serve uma relação???

...Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.


...Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

...Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo. 

...Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa. 

...Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem corpo um do outro quando o cobertor cair. 

...Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.


Dráuzio Varella

Combinação 13 + 08 = amadurecimento

Todo processo de amadurecimento é difícil. Sim, o caixão (08) refere-se a um processo de transição ou a um processo de transformação, embora eu goste muito de definir esta carta como um processo de aprendizagem ou reaprendizagem. 

Não é fácil mudar um padrão de comportamento, pois o comportamento é construído pelas crenças que são transmitidas pelos pais dentro de casa, pelo professores na escola e pelos valores passados pela sociedade. É natural que a pessoa absorva tais valores. Mas com o passar do tempo, ela mesma vai descobrindo novos conceitos, novas maneiras de se viver e novas possibilidades de enxergar a vida. 

A criança (13) é imatura, despreparada para enfrentar algumas situações, irresponsável, flexível, tudo para ela é novidade, cresce naturalmente, de uma forma lúdica, sem intenções ou pretensões. 

Crescer é fácil? Não.
É possível? Sim.
Dói? Com certeza. E, às vezes, dói demais. 

Ter responsabilidade significa responder pelas suas escolhas, responder pelas suas atitudes, é responder pela sua vida. Você se sente responsável? por si mesmo? pelo outro? Você responde pelas suas escolhas, sejam elas motivas pela emoção ou pela razão? 

Ter autonomia significa aquele que segue as suas próprias leis, aquele que toma as próprias decisões e sabe das consequências. É a liberdade da pessoas em comandar a sua vida livremente, usando racionalmente as suas próprias escolhas, sem, é claro, ferir o espaço do outro.

A combinação das cartas 08-caixão e 13-criança nos fala da oportunidade (ou necessidade) de deixar a infantilidade e a ingenuidade para trás, sem sufocar a criança interna. Acompanhar o fluxo da vida, de assumir riscos, enfrentar desafios, ganhar responsabilidades, ser autônomo para ser livre.

A vida tem seus trevos (02=pequenos empecilhos) e suas montanhas (21=grandes obstáculos). Mas amadurecer é o único caminho para alçar o voo e ser livre. Vai, anda, dá o 1º passo, suba os degraus do ônibus, do trem ou qualquer outro degrau, aventure-se em uma viagem (sozinho mesmo), não tenha medo de cair. E, se cair, levanta...mesmo com o joelho ferido. O mundo está te esperando, com todas as possibilidades de ser independente. Alce o seu voo. 


Dedico este post a um cliente muito querida, a LF, pela sua luta diária em se emancipar e por querer muito se livrar das amarras que a prendiam. Estamos juntas neste processo de amadurecimento e tenho orgulho dos passos que você já deu até aqui. Continue, bem devagar, não tenha pressa. Um passo de cada vez, isso só vai te beneficiar. 

Aplicativo para celular

Queridos leitores e seguidores do blog, é com orgulho que venho anunciar, através deste post, que já possuo um aplicativo para ser baixado no celular. Fiquem a vontade para avisarem aos seus amigos, convide-os a baixarem o aplicativo em seus celulares também.


Com este aplicativo, você vai ter acesso a todos os eventos das Cartas Ciganas, tais como: 
CARTAS NA MESA, 
AS CARTAS CIGANAS E AS TERAPIAS HOLÍSTICAS, 
AS CARTAS CIGANAS TE REVELAM, 
MESA REDONDA SOBRE AS CARTAS CIGANAS,
AMBULATÓRIO SOCIAL DAS CARTAS CIGANAS. 
Também vai ficar sabendo sobre os atendimentos, cursos, fotos, agenda, contato, palestras e parceiros, amigos (18) que encontrei ao longo da estrada. 

Sei que tenho muita inspiração e criatividade (16), sei que penso muito e numa velocidade muito grande (06), sei que trabalho (26) muito, muito mesmo, mas graças à Deus, tal qual um cavaleiro ou amazona (01), eu sei que sou uma empreendedora, que sou pioneira, que abro caminhos (e piso forte), que planto sementes...e faço isso com muita alegria (09), porque amo (24) a minha profissão de terapeuta holística e oraculista.   

Acho que sou a 1ª cartomante a possuir um aplicativo...ainda bem. 

E já já iniciarei a Loja Virtual, com produtos, que estão saindo do forno. Aguardem só um pouquinho.

Carta 08 - O caixão - O Eu pode e deve se reinventar - Por Augusto Cury

Autor: Augusto Cury
Livro: Pais inteligentes formam sucessores, não herdeiros. 
Editora: Saraiva.

"Com palavras inteligentes, os pais transformam cada momento num espetáculo solene. com um amor maduro, os pais transformam cada minuto numa eternidade. Usando, portanto, suas palavras e seu amor, os pais podem mudar o mundo quando mudam o mundos dos seus filhos"

Temos tendência a encontrar culpados para nossos tropeços, lapsos, insucessos, conflitos ou até para nossa falta de atitude. Desde os primórdios da civilização humana culpamos pais, chefes, mestres, a sociedade, o ambiente e até Deus. Ainda que fenômenos externos tenham contribuído para nossos comportamentos, ninguém é mais responsável por eles do que nós mesmos. Quando crianças podíamos não ter capacidade de decidir; quando adultos, abrir mão dessa capacidade é amordaçar o Eu na masmorra da alienação. 

Não escolhemos nosso pais, mas podemos escolher amá-los e honrá-los apesar de seus defeitos. 
Não escolhemos nossa nação, mas podemos escolher torná-la mais justa e solidária. 
Não escolhemos o meio ambiente, mas podemos escolher torná-lo mais sustentável. 
Não escolhemos o início de nossa educação escolar, mas é possível escolher usar as informações como fonte de arte de pensar. 
Não escolhemos o passado, mas podemos escolher o futuro.

...Em qualquer momento podemos construir uma nova agenda, deixar de ser espectadores para ser protagonistas da nossa história. 
Nosso Eu, que representa a capacidade de escolha, pode e deve se reinventar. Essa é uma das mais importantes características dos sucessores. 

Quem se reinventa reclama pouco e age muito. 
Quem se reinventa atribui menos carga aos outros e assume mais as responsabilidades. 
Quem se reinventa usa muito menos as mãos para punir e muito mais o cérebro para superar. 

Os herdeiros, ao contrário, anestesiam os papéis nobres do Eu. Quem não se reinventa não revê o que é, onde está, nem aonde quer chegar. Quem não se reinventa é um barco sem leme, sem bússola. É empurrado pela vida, e não o condutor dela. Filhos que culpam os pais por seu próprio vício em drogas, pelos fracassos profissionais e pelas mazelas da emoção retiram seu Eu da posição de piloto da aeronave mental e colocam-no como um passivo passageiro. Você pilota sua mente ou é pilotado por ela?

Sucessores sabem que o destino frequentemente não é inevitável, e sim uma questão de escolhas. Herdeiros acreditam que o destino não é responsabilidade deles. Sucessores constroem seus caminhos. Herdeiros escondem-se atrás da débil crença na sorte e no azar. Não sabem que sorte é o casamento da oportunidade com a capacidade de agir. Não sabem que a sorte acorda às 6 da manhã. 
Sucessores sabem que todas as escolhas implicam em perdas. Têm consciência de que, para alcançar os patamares mais nobres da saúde emocional e da excelência profissional, têm de abandonar o conformismo. Os herdeiros creem que suas escolhas só trazem ganhos. Desconhecem que, para conquistar pessoas, têm de perder sua arrogância e seus pré-julgamentos, têm de reciclar sua autossuficiência e o  medo de cair no ridículo; para conquistar habilidades profissionais e sociais, têm que remover sua preguiça mental e sua alienação. Perder nos torna  mais leves. Quem não aprende a perder nunca sairá da masmorra da mesmice. E milhões, mesmo sem terem consciência, estão encarcerados. Estamos entre eles?


Nota: Eu prefiro ser uma sucessora, onde me reinvento a cada instante, aprendo com os exemplos dos outros e com os meus próprios deslizes. Me recuso a ser uma herdeira que não constrói, e que não se reinventa. Qual é a sua escolha?

Carta 06 - As Nuvens - As expectativas - Por Tânia Durão

No dicionário online de português Expectativa significa: 
Condição de quem espera pela ocorrência de alguma coisa; perspectiva: expectativa de tempestade. 
Estado de quem espera algum acontecimento, baseando-se em probabilidades ou na possível efetivação deste. 
P.ext. Desejo intenso por algo próspero: expectativa de um bom trabalho. (Etm. do francês: expectative). 
Sinônimo de expectativa: espera, esperança, possibilidade e probabilidade
Antônimo de expectativa: desilusão, descrença e desesperança

É muito comum o ser humano criar expectativas (boas ou ruins). Algumas pessoas criam um mundo cor de rosa, onde tudo é belo e as pessoas vivem felizes para sempre. Enquanto outras pessoas criam fantasias catastróficas, onde nada dá certo e o mundo é cruel demais para elas se realizarem. 

Já se pegou sonhando acordado? Já imaginou que uma situação seria de um jeito, mas a realidade mostrou ser de outro? Já sentiu a dor da decepção por alguém? Já sofreu de frustração por ter criado uma expectativa muito grande?


Que tipo de expectativa você costuma criar sobre você mesmo? Que você é o mocinho, que se ferra sempre? Que é o protetor das donzelas desamparadas? Ou o carrasco insensível e cruel? Ou o salvador da pátria que está sempre pronto para defender os fracos e os oprimidos? 
Que expectativas você faz de si mesmo? Costuma achar que nada vai dar certo para você? Que você é um azarado? Quando algo dá errado, você logo pensa que alguém fez macumba para você? Você acredita ser uma vítima da maldade alheia? ou uma vítima das circunstâncias? 

Que expectativas você tem dos outros? Você espera que os outros sejam responsáveis pela sua felicidade? Você coloca a sua felicidade na mão de alguém? Você acha que os outros devem adivinhar como você se sente, o que você pretende e o que deseja? Você espera que os outros atendam as suas necessidades emocionais? Ou você parte para a ação para concretizar as suas expectativas? 

E o que dizer das expectativas afetivas. Você quer viver (e sentir) um grande amor? Você acredita em contos de fada? Você costuma sonhar com o príncipe (ou a princesa)? Você se apaixona pelo outro ou você se apaixona pelo ideia que você tem do outro? Você já criou (ou alimentou) uma falsa expectativa em alguém? Já experimentou uma paixão platônica? 
Sim, meu caro leitor, vivemos no mundo da ilusão, criamos muitas fantasias. Garanto à você que a frustração causa muito sofrimento.

E você? costuma criar e alimentar alguma expectativa no outro?
Já fez alguma promessa que sabia que não cumpriria? Você já criou e/ou alimentou uma falsa expectativa em alguém? Só para frustá-la logo em seguida? Você já frustrou alguém?


Você, mulher, costuma transferir os problemas que você mesma criou para o seu marido (ou namorado) resolver? Que vai casar com um homem rico para pagar o seu cartão de crédito? Acha que homem só pensa em sexo?
Você, homem, acha que mulher só quer situação (leia-se $$$)? Que seus filhos estão livres do perigo do álcool, das drogas ou de um acidente de carro? Você acha que a vida é sofrimento constante? Que é a cruz que você deve carregar? Ou que a vida é um  mar de rosas, sempre com um final feliz?
Você espera passar no concurso público sem estudar?
Você espera ser promovido sem se especializar?
Você espera ficar rico sem esforço?

As expectativas que cada pessoa cria para si costuma gerar muita frustração e muito sofrimento. É duro pisar no chão e constatar que a realidade nua e crua é contrária a expectativa que se criou.  

É válido sonhar sim, é valido ter esperanças sim, é válido querer uma vida melhor sim, mas sempre em contato com a realidade e fazendo movimentos na direção da conquista do desejo. Só assim a pessoa vai se sentir realizada. 

Quais são as suas expectativas? O que você espera de si mesmo, do outro e da vida?

Nós, cartomantes e terapeutas temos o dever de alertar quanto as expectativas do cliente, podemos prevenir que as coisas podem não ocorrem como ele espera. Da mesma forma podemos dar apoio quando o cliente está sofrendo pela frustração. Este é o nosso dever. 

A oração da gestal (uma abordagem psicológica) traduz muito bem o que eu quero transmitir neste post. 

“Eu sou eu, você é você. 
Eu faço as minhas coisas e você faz as suas coisas. 
Eu sou eu, você é você. 
Não estou neste mundo para viver de acordo com as suas expectativas. 
E nem você o está para viver de acordo com as minhas. 
Eu sou eu, você é você. 
Se por acaso nos encontrarmos, é lindo. 
Se não, não há o que fazer.”   Fritz Perls, 1969

Carta 06 - Nuvens - As Expectativas - Por Flavio Siqueira

Fonte: www.flaviosiqueira.com 

Não é preciso criar tanta expectativa(25/06/14)

Ultimamente tenho falado um pouco mais sobre os males que a expectativa produz. Percebo que, especialmente quando insisto no fato de que nossas decepções são causadas por nós mesmos, como fruto das expectativas, o desconforto de muitos se expressa em comentários um tanto quanto contrariados.
“Como não criar expectativas em relação a um casamento?”, “Você consegue não ter expectativas relacionadas ao futuro de um filho?”, “É possível prosperar profissionalmente sem expectativas de crescimento?” – São perguntas que vez ou outra aparecem, algumas com certo ar de indignação como a de alguém escreveu algo do tipo “isso é demagogia!”.
Primeiro quero que saiba que reconheço que não é fácil. Poucos de nós realmente entenderam o real significado de enxergar a si mesmo. Estamos sempre olhando para fora, apontando, esperando, julgando, querendo que a vida corresponda aos nossos justificados desejos, afinal, que mal há em querer que um casamento dê certo, um filho progrida, um trabalho seja bem sucedido? – Pensamos.
Mal nenhum, mas a questão não é essa. Pense comigo: Criar expectativas não é o mesmo de querer bem. No primeiro caso me desloco no tempo e projeto para o futuro determinado desfecho que não tenho a menor condição de garantir. Me fixo apenas em uma possibilidade e, se não acontece conforme esperei, o próximo passo será a decepção.
No segundo caso, quando apenas quero bem, estou consciente que as coisas nem sempre acontecem exatamente como quero e me mantenho aberto para as incontáveis possibilidades que cada evento carrega, portanto, ao invés de esperar lá na frente, no futuro, desfruto o beneficio do agora, enxergando hoje tudo o que posso enxergar.
A decepção é fruto das expectativas. Quanto mais espero, quanto mais ansioso por determinado caminho, mais decepcionado diante da contrariedade.
Minha proposta é bem simples: Ao invés de viver esperando que o futuro seja de determinada maneira, por que não tenta desfrutar do que está acontecendo agora, ainda que o cenário não seja aquele que desenhou na mente?
Agora entenda: Isso não quer dizer de maneira nenhuma que deve deixar de fazer seu melhor, de contribuir para que tudo caminhe bem, seja na vida pessoal, no trabalho ou nos relacionamentos. Não criar expectativas não é sinônimo de falta de intensidade, mas, pelo contrário, é não projetar sobre as pessoas ou acontecimentos uma sobrecarga que depois voltará em forma de decepção.

A decepção não é criada pelo outro, mas por você que esperava de mais.

A intensidade não está no que espero lá na frente, mas no que experimento no eterno agora. Cuidar do futuro será um trabalho ineficaz enquanto não entendo que o futuro sempre cede espaço para o presente e vira hoje, vira hoje, vira hoje, portanto, cabe exclusivamente a mim cuidar do hoje transformando cada instante em solo fértil para o “futuro”.
Você nunca verá seu marido como é, jamais aceitará seu filho com todas as suas particularidades, viverá em eterno conflito como sua vida enquanto não parar de criar expectativas. Até para que as pessoas e cenários mudem é preciso clareza e aceitação. Se alterações realmente forem necessárias e você tiver que interferir, só perceberá quando estiver presente, no hoje, no agora, sem expectativas.
A falta de expectativa lhe torna isento para enxergar o caminho, entender as pessoas, pacificar-se com sua vida. Ser feliz é assim, é pacificar-se consigo e com o que é, é aceitar-se até que não precise criar expectativas. É enxergar a vida sem esperar nada específico lá na frente, especialmente por saber que o “lá na frente” é consequência do agora e se estabelecerá em harmonia se hoje a harmonia for sua casa.
Pacifique-se consigo mesmo.Ouse confiar que tudo se encaixará como deve ser. Entenda finalmente que o que de melhor você pode fazer para seu futuro é viver no presente, aberto para todas as bilhões de possibilidades, de desdobramentos, de caminhos que se estenderão naturalmente para quem vive com simplicidade e naturalidade.
Descanse. Não é preciso criar tantas expectativas.
Fique bem.


Como lidar com a decepção? (01/05/14)

A decepção é fruto da expectativa. Só me decepciono enquanto esperava, enquanto achava que seria assim, mas foi assado, afinal eu não merecia! – pensamos com ar indignado. 


Não estou tentando aqui relativizar um sentimento comum entre as pessoas, claro, tem gente que realmente pisa na bola, age de forma não esperada e nos pega de surpresa, mas, quando surge a decepção temos a oportunidade de enxergarmos algumas coisinhas, uma delas é: O tamanho da minha decepção é proporcional a expectativa que coloquei sobre algo ou alguém.
Achamos normal esperar que as pessoas sejam o que gostaríamos, ou, para ser mais exato, sem perceber tendemos a projetar no outro aquilo que eu gostaria de ser ou de ter.

Que ele ou ela me deem todo o amor que preciso, que o amigo esteja sempre disponível, que os pais me entendam e sejam compreensivos, que os filhos me amem e estejam por perto, que o chefe seja educado, o colega prestativo e assim, achando tudo justo e natural, acumulamos expectativas sem perceber que cada expectativa é um embrião da decepção.
O problema não está na decepção, mas na expectativa.
Você pode ficar triste com uma atitude não esperada, quando alguém age de forma displicente, sem cuidado, mas manter-se sob o manto da “decepção” tem muito mais a ver contigo, com o sentimento de auto comiseração, do que com quem eventualmente praticou o ato. Isso é uma escolha sua, não uma imposição de quem quer que seja.
Quando o sentimento de decepção pegar pesado, olhe para si mesmo, não para o outro.
Pessoas erram, todas elas, todos nós. Pessoas são falhas, todos nós. Todos tem seus limites, suas sombras, suas dificuldades em compreender o outro, seus processos muitas vezes demorados.
Às vezes faço o que sei que não deveria fazer enquanto não pratico o bem que, na interioridade, desejaria. Sei como é.
Nossas relações acontecem concomitante a nossa relatividade, são espelhos nossos, refletem o que nos habita.
Portanto, independentemente do rumo que as histórias tomem, mesmo que alguém tenha sido cruel contigo, sei que não é bom, sei que dói, sei que é difícil, mas também sei que seus sentimentos tem muito mais a ver com você do que qualquer outra pessoa.
Cure-se disso e siga seu caminho, mais experiente, mais consciente em relação a natureza humana, crie menos expectativas e siga em paz.

Palestra no Centro Cultural e Holístico Trybo Cósmica

Foi com muita alegria que recebi o convite da Katja Bastos para dar uma palestra na Trybo Cósmica no dia 09/08/14. Aceitei de pronto, me sentindo um tantinho envaidecida, pela oportunidade de transmitir um pouco da minha experiência no seu evento.


Fui recebida com muito carinho por toda equipe, em especial a simpática Fernanda, que atende a todos com um belo sorriso, logo me senti a vontade, em casa mesmo. Fiz um rápido lanche e aguardei o momento da palestra. 




A Katja fez a abertura do evento e em seguida eu comecei a minha palestra o sobre o autoconhecimento através das Cartas Ciganas, onde pude estar em contato com as pessoas presentes e tirar as suas dúvidas. Para mim, foi uma experiência muito gratificante. 




Logo em seguida Alexsander Lepletier deu a sua palestra sobre o simbolismo oculto do Baralho Lenormand. Sua clareza e simplicidade em passar sua mensagem é excepcional. Sempre aprendo com ele. 


Compartilhar bons momentos e estar entre amigos é maravilhoso, ainda mais quando temos afinidades espirituais.  


Adriana Padula, Katja Bastos, Chris Wolf e Alexsander Lepletier darão palestras na III Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas no dia 25/10/14. Nos vemos lá. 

E encerramos a noite com a fogueira sob a luz da lua cheia, onde ganhei um presente maravilhoso, que me deixou muito emocionada. Até o próximo encontro.