Carta 06 - As Nuvens - As expectativas - Por Tânia Durão

No dicionário online de português Expectativa significa: 
Condição de quem espera pela ocorrência de alguma coisa; perspectiva: expectativa de tempestade. 
Estado de quem espera algum acontecimento, baseando-se em probabilidades ou na possível efetivação deste. 
P.ext. Desejo intenso por algo próspero: expectativa de um bom trabalho. (Etm. do francês: expectative). 
Sinônimo de expectativa: espera, esperança, possibilidade e probabilidade
Antônimo de expectativa: desilusão, descrença e desesperança

É muito comum o ser humano criar expectativas (boas ou ruins). Algumas pessoas criam um mundo cor de rosa, onde tudo é belo e as pessoas vivem felizes para sempre. Enquanto outras pessoas criam fantasias catastróficas, onde nada dá certo e o mundo é cruel demais para elas se realizarem. 

Já se pegou sonhando acordado? Já imaginou que uma situação seria de um jeito, mas a realidade mostrou ser de outro? Já sentiu a dor da decepção por alguém? Já sofreu de frustração por ter criado uma expectativa muito grande?


Que tipo de expectativa você costuma criar sobre você mesmo? Que você é o mocinho, que se ferra sempre? Que é o protetor das donzelas desamparadas? Ou o carrasco insensível e cruel? Ou o salvador da pátria que está sempre pronto para defender os fracos e os oprimidos? 
Que expectativas você faz de si mesmo? Costuma achar que nada vai dar certo para você? Que você é um azarado? Quando algo dá errado, você logo pensa que alguém fez macumba para você? Você acredita ser uma vítima da maldade alheia? ou uma vítima das circunstâncias? 

Que expectativas você tem dos outros? Você espera que os outros sejam responsáveis pela sua felicidade? Você coloca a sua felicidade na mão de alguém? Você acha que os outros devem adivinhar como você se sente, o que você pretende e o que deseja? Você espera que os outros atendam as suas necessidades emocionais? Ou você parte para a ação para concretizar as suas expectativas? 

E o que dizer das expectativas afetivas. Você quer viver (e sentir) um grande amor? Você acredita em contos de fada? Você costuma sonhar com o príncipe (ou a princesa)? Você se apaixona pelo outro ou você se apaixona pelo ideia que você tem do outro? Você já criou (ou alimentou) uma falsa expectativa em alguém? Já experimentou uma paixão platônica? 
Sim, meu caro leitor, vivemos no mundo da ilusão, criamos muitas fantasias. Garanto à você que a frustração causa muito sofrimento.

E você? costuma criar e alimentar alguma expectativa no outro?
Já fez alguma promessa que sabia que não cumpriria? Você já criou e/ou alimentou uma falsa expectativa em alguém? Só para frustá-la logo em seguida? Você já frustrou alguém?


Você, mulher, costuma transferir os problemas que você mesma criou para o seu marido (ou namorado) resolver? Que vai casar com um homem rico para pagar o seu cartão de crédito? Acha que homem só pensa em sexo?
Você, homem, acha que mulher só quer situação (leia-se $$$)? Que seus filhos estão livres do perigo do álcool, das drogas ou de um acidente de carro? Você acha que a vida é sofrimento constante? Que é a cruz que você deve carregar? Ou que a vida é um  mar de rosas, sempre com um final feliz?
Você espera passar no concurso público sem estudar?
Você espera ser promovido sem se especializar?
Você espera ficar rico sem esforço?

As expectativas que cada pessoa cria para si costuma gerar muita frustração e muito sofrimento. É duro pisar no chão e constatar que a realidade nua e crua é contrária a expectativa que se criou.  

É válido sonhar sim, é valido ter esperanças sim, é válido querer uma vida melhor sim, mas sempre em contato com a realidade e fazendo movimentos na direção da conquista do desejo. Só assim a pessoa vai se sentir realizada. 

Quais são as suas expectativas? O que você espera de si mesmo, do outro e da vida?

Nós, cartomantes e terapeutas temos o dever de alertar quanto as expectativas do cliente, podemos prevenir que as coisas podem não ocorrem como ele espera. Da mesma forma podemos dar apoio quando o cliente está sofrendo pela frustração. Este é o nosso dever. 

A oração da gestal (uma abordagem psicológica) traduz muito bem o que eu quero transmitir neste post. 

“Eu sou eu, você é você. 
Eu faço as minhas coisas e você faz as suas coisas. 
Eu sou eu, você é você. 
Não estou neste mundo para viver de acordo com as suas expectativas. 
E nem você o está para viver de acordo com as minhas. 
Eu sou eu, você é você. 
Se por acaso nos encontrarmos, é lindo. 
Se não, não há o que fazer.”   Fritz Perls, 1969