Carta 06 - As Nuvens - Por Tânia Durão


Hoje eu acordei completamente nebulosa, me sinto nas nuvens, de tão desorientada. 

Acordei para me defrontar com a agonia das minhas incertezas - será que estou na caminho certo? será que estou fazendo as coisas do modo correto? será que fiz a escolha certa? 


Como acalmar esta tempestade interna? Socorro! alguém me ajude. Cadê o meu anjo da guarda? Preciso acalmar esta tempestade interna. 



Os ventos velozes da minha ansiedade me impulsionam a prosseguir, mas para onde? onde eu vou me levar? onde vou chegar? O que, afinal, eu procuro?

Será que devo acalmar ou devo deixar que este diluvio me leve sabe Deus para onde?

A chuva das minhas fantasias insiste em cair no chão só para me mostrar que a realidade é outra. A realidade é diferente dos meus devaneios. Como desanuviar para equilibrar as coisas?

Os raios da preocupação caem direto na minha cabeça e no meu corpo, me queimam e me deixam exausta.

Resolvi escrever para clarear a minha mente e espantar esta neblina densa, que hoje, insiste em me desestabilizar.

Lembro da música "eu sou nuvem passageira, que com o vento se vai..." do autor Hermes Aquino.

Espero ansiosamente que esta crise em que me encontro passe logo e que me devolva a serenidade (carta 30-lírios) e o equilíbrio (carta 04-casa).

Dedico este post a mim mesma, pois esta carta me define muito bem, não como confusão ou instabilidade, mas como um excesso de pensamentos, uma ansiedade constante  e uma criatividade que não me deixa dormir. rsrsrs