Carta 14 - A Raposa - Por Tânia Durão

A raposa é uma carta fascinante, porque pede foco, atenção, observação, análise, cautela, planejamento, astúcia, esperteza ou malandragem

A raposa não é ingenua e não age por impulso, ela observa com muita atenção, planeja com cuidado, analisa os riscos, avalia a situação e pensa nas consequências

Tenho o entendimento de que a raposa não possui o veneno das serpentes (07), como não dá o bote repentino. Não possui a força brutal e até selvagem dos ursos (15), como não abraça a presa para matá-la e não corrói pelas beiradas, sorrateiramente, como fazem os ratos (23). Sua única arma é a observação e a cautela.

A raposa usa de estratégia, sagacidade e pode ser oportunista sim, mas não causa prejuízos a ninguém. Ela é esperta para não cair em armadilhas, porém ela não é a armadilha!!

Outro aspecto interessante desta carta é o charme e a sedução. Toda mulher sabe usar um decote, saber dar uma cruzada de pernas, sabe mexer no cabelo, sabe combinar o batom com o brinco, além de saber dar aquela reboladinha básica. Todo homem sabe ser gentil, sabe ser atencioso, quando quer conquistar um mulher, sabe usar a fala (ou a lábia) para atrair a atenção da mulher que despertou o seu interesse. 
Lembre-se: o homem gosta do que vê e a mulher gosta do que ouve.

Estou de olho em você...


Dedico este post a Adriana Padula que chegou até mim, através da página As Cartas Ciganas no facebook, com cautela, meio desconfiada, ou melhor, desconfiadíssima. 

Percebi, com o olhar atento, que ela só relaxou na metade da aula em diante. Estava em alerta, me observava muito, meio de soslaio....meio para me analisar e meio para absorver os conhecimentos transmitidos em aula.

Sua risada é um bálsamo e seu atenção está sempre voltada para a família.

Um beijo para você, Adriana, e para as energias que te acompanham.