Carta 17 - A Cegonha - Por Tânia Durão

O meu primeiro contato com a cegonha foi assim, sem mais nem menos, na auto estrada, indo para Lisboa. Algo completamente inusitado para mim.

De repente a minha madrinha (ou mamy), que dirigia o carro, apontou para os sinalizadores da estrada para me mostrar o ninho que as cegonhas fazem. Fiquei estupefata, pelo imprevisto da situação. 

Quase levei um susto, pois fui pega de surpresa. Eu nunca tinha visto uma cegonha antes, aqui no Brasil nós temos a garça e uma grande variedade de pássaros e aves, mas não a cegonha. Jamais poderia imaginar que a cegonha fosse fazer um ninho justo ali, encima do sinalizador, e no meio da estrada. Como assim? Isso é assombroso!

Ronda - Espanha
A cegonha nos convida a viver o aqui e o agora, pois ela sempre chega sem avisar. Desta forma não ficamos presos ao passado e não nos programamos para o futuro. 

Devemos estar abertos as novidades, pois na vida, sempre chega uma situação inusitada, que surge do nada, assim, de repente, sem que a gente espere, por isso nos pega de surpresa.  

A cegonha também nos motiva a sair da rotina, a fazer diferente e a entrar em contato com o desconhecido, inclusive, sobre nós mesmos. Isso sim, é uma verdadeira aventura. Quando, de repente, no meio da estrada cheia de reta, nos deparamos com uma bifurcação. E aí? o que fazer? esquerda ou direita? Não há como retroceder...

Gosto de pensar na carta 17 como o coringa do baralho cigano, pois representa o inesperado, o imprevisto, o desconhecido e o mais importante, como nós lidamos com o inusitado. Ficamos tensos ou nos abrimos para o novo? Estamos abertos a mudanças ou ficamos presos a mesmice do dia a dia?

A cegonha é o eterno convite as mudanças e o se abrir para as novidades. 


Dedico este post a Rui Pereira (ruipereira.com.pt), por ser uma pessoa cheia de surpresas

Nos conhecemos por acaso, pela internet mesmo, já que ele visitou o meu blog e, inesperadamente (para mim), fez um contato super gentil e simpático...o que era de se esperar.

Seu convite para eu dar uma aula em Lisboa foi algo inédito. É uma oportunidade boa, muito boa mesmo, porém inusitada, pois até então, eu iria a Portugal, apenas para ver a minha madrinha (ou mamy). Honestamente não sei o que esperar desta viagem...deixo assim, por conta do acaso...e deixo que a gestação (17+13) desta experiência fale por si só, até porquê o início desta viagem foi completamente inesperado, pois o dinheiro surgiu, ou melhor, caiu de paraquedas, no  meu colo. 

Não tardou para que Rui anunciasse a sua vinda para o Rio de Janeiro para assistir a II Mesa Redonda sobre As Cartas Ciganas. Mais uma vez fui pega de surpresa e fiquei muito feliz, pois finalmente vamos nos conhecer pessoalmente.

De repente percebi que muitas pessoas se interessaram pelo seu curso de Magia Cigana. O consultei sobre a possibilidade dele dar o curso aqui no Rio de Janeiro e, desta vez, ele foi pego de surpresa, porém a sua resposta foi um sim cheio de humildade, isso não foi uma novidade para mim....rsrs