Cartas Mágicas - Por Tânia Durão

Escolhi um papel de carta bem bonito para escrever (27) sobre a emoção (32) repentina (17) que me tocou a alma (31), pela entrega e pela simplicidade com que Dalila (18) escreveu o seu belo (09) poema. 

Sim, as melhores emoções (32) nascem da simplicidade!!!  

Sim, uma amizade (18) começa com um simples "Oi" dito assim, sem pretensão... (13)

As Cartas Ciganas revelam quem somos nós e o quanto ainda podemos realizar, basta ter fé de passarinho...(12)

As Cartas Ciganas revelam as infinitas possibilidades...sobre nós mesmos e a melhor maneira de usar o chicote (11) para usufruirmos do nosso poder e a cuidar do nosso jardim. (20) 

As Cartas Ciganas oferecem uma nova percepção sobre a sensibilidade...minha e de quem me acompanha, como toda estrela (16) deve nortear. Afinal, nunca estamos sozinhos. 

As Cartas Mágicas nos convidam a olhar para dentro (08), para enxergar os nossos trevos (02), as nossas montanhas (21), as nossas flores (09) e as nossas chaves (33). 

As Cartas Mágicas nos ajudam a visualizar os caminhos já abertos  (22)(ou que abrimos ou que abriremos) para podermos seguir em frente, com muito (ou nem tanto) esforço, mas a conquista (36) é certa. 

Ah! o gostinho da vitória (36) é inesquecível!!

As Cartas Mágicas nos impulsionam a dar o primeiro passo, como um cavaleiro (01) que abre novas trilhas em seu caminho, que encara a vida com muito entusiasmo (09) e como uma grande aventura. 

As Cartas Mágicas nos ajudam a mudar o olhar (08) e a voar ao infinito pela fé (12) que, até então, estava adormecida. 

As Cartas Mágicas orientam a se orientar pela estrela (16) individual, que sempre esteve ali, esperando a sua atenção (14).

As Cartas Mágicas nos ajudam a olhar para fora e nos apontam os melhores caminhos, mesmo que hajam empecilhos (02) e desgastes (23). E é sempre positivo olhar para novos horizontes (03).  

As cartas mágicas nos auxiliam a arrumar a casa (04) e a nos preparar para a próxima festa. Afinal, o amor (24) é a mola propulsora que move o homem a se conectar com a sua própria essência (31) e a se lançar para a vida.  


Dedico este post a Dalila Tiago, que vem crescendo de mansinho, por ter me emocionado com sua poema e por ter me inspirado a escrever. 

Dalila, admiro a sua coragem para olhar as suas montanhas. Perceba que você, também, tem asas de passarinho. Basta voar...