Carta 34 - Cobrar ou não cobrar - eis a questão - Por Tânia Durão

A sincronicidade é um fato!! Tenho pensado em escrever sobre este tema e com este mesmo título; Cobrar ou não - eis a questão. Mas qual não foi a minha surpresa ao ver o excelente vídeo do Leonardo Dias abordando este assunto e com o mesmo título. 

SIM, um bom profissional deve sim, cobrar pelo serviço prestado. 
SIM, um bom profissional investiu em cursos. 
SIM, um bom profissional comprou e leu vários livros. 
SIM, um bom profissional levou tempo estudando e praticando.
SIM, um bom profissional se dedicou em seu aprimoramento. 
SIM, um bom profissional cobra pelo seu tempo.

Quem conhece a minha estória sabe que levei um ano inteiro atendendo de graça para eu me sentir segura o bastante para atender profissionalmente. Mas oriento os meus alunos que, para quem está começando, pode-se pedir um incenso ou uma vela ou um cristal ou um pequeno punhal ou uma taça...ou um abraço. Trocar faz bem a alma. E quem recebe de graça, não valoriza o presente recebido.

Cobro sim, pela profissional dedicada que sou. 
Cobro sim, pelo valor que é justo para mim.
Cobro sim, pelo anos de estudo, prática e experiência.
Cobro sim, por todos os recursos que tenho hoje, inclusive terapêuticos. 
Cobro sim, porque é o valor das consultas que paga as minhas contas. 

Sou flexível, dou desconto, quando necessário, facilito o pagamento nos meus cursos, como também faço caridade, dentro e fora da minha mesa de leitura. 





Dedico este post ao Leonardo Dias (que não conheço) por me dar a inspiração para, enfim, escrever sobre este tema e como mesmo título. Adorei sua maneira espontânea, simples, clara e divertida de dar o seu recado em seus vídeos. O meu SIM é para você!!!