Início, meio e fim de um Baralho Cigano

Aprendi com Katja Bastos (www.trybocosmica.blogspot.com) sobre a diferença entre baralho e Tarot:
Baralho é simplesmente um conjunto de cartas. 
Tarot é um caminho, que direciona e aponta soluções. 
Gostei desta definição. 

Alguns alunos me perguntam qual a diferença entre o Baralho Cigano e o Baralho Lenormand. Só no Brasil (e em Portugal também) é chamado de Baralho Cigano. O mundo inteiro se refere As Cartas Ciganas como Baralho Lenormand. 

Passei por uma experiência bem interessante. Tive a oportunidade de ir a Madrid e dei de cara com uma loja de macumba, a Santeria Milagrosa, pedi à vendedora una baraja gitana (=baralho cigano), ela fez uma cara de estranheza e disse que não tinha, embora houvessem baralhos de todos os tipos e de todos os lugares do mundo. Saí da loja bem triste, mas ao atravessar a rua, de repente lembrei da Baraja Lenormand, voltei a loja, na mesma vendedora e ela sorrindo me mostrou 4 lindos baralhos Lenormands. Comprei 2 baralhos, pois os outros 2 eu já tinha. 

Como minhas mãos são pequenas, eu sempre compro baralhos pequenos, para que eu fique confortável para manusear as cartas na hora da consulta. Particularmente prefiro os Baralhos importados pela qualidade e durabilidade, em especial o Magisches Lenormand, que eu comprei com a Socorro Van Aerts no seu blog www.dekeizerinboutique.blogspot.com

Alguns baralhos brasileiros são muito bons:

01) Baralho Copag para ver a sorte, com o livreto escrito por Emanuel J Santos.  

02) Baralho Cigano da Fábrica do Baralho

03) Estou louca para receber o baralho Esmeralda Lenormand, que foi criado por Karla Souza e que será lançado oficialmente na Mystic Fair de SP nos dias 30/11 e 01/12. A partir do dia 02/12 já estará disponível para venda em lojas físicas e online. 

Segundo o meu querido amigo Emanuel J Santos, em seu livro Conversas Cartomânticas: "Fica aqui meu conselho: compre quantos baralhos puder e quiser (nessa ordem). Conheça os catálogos. Conheça os baralhos, os artistas, os idealizadores. Jogue quantos baralhos quiser. Mas lembre-se: o trabalho feito com um baralho é tão valioso quanto o trabalho feito com dez - o que importa é o quanto você estuda. Divirta-se colecionando - eu me divirto - mas lembre-se: o mais importante é o mergulho na simbologia, não a quantidade de baralhos que você vier a possuir. Mas estude, muito. Mesmo." Estou de acordo e assino embaixo. 

Aconselho aos meus alunos que: ao comprar um baralho, permita que o baralho o escolha. Não use a mente, apenas SINTA qual deck fala mais e melhor com você. Simples assim.

De posse do baralho, você pode imantá-lo (=limpá-lo) e consagrá-lo, embora alguns cartomantes não usem esta prática, por considerarem ritualística demais. Quero registrar que mesmo que você decida não imantar nem consagrar o seu baralho, a leitura seguirá tranquila. Tenha confiança em tudo o que estudou e acredite sempre na sua intuição. E, é claro, estudo sempre!

Dou uma dica de como imantar e consagrar o seu baralho. Eis o nascimento do seu baralho.

Imantação do baralho

Não sabemos o que o funcionário da gráfica estava pensando ou sentindo na hora de confeccionar o baralho. Não sabemos o que o caminhoneiro estava pensando ou sentindo na hora de transportar o baralho. Não sabemos o que o empregado estava pensando ou sentindo na hora de receber o baralho e colocá-lo na prateleira. Não sabemos quanto tempo o baralho ficou exposto na loja e quantas pessoas o pegaram nas mãos, também não sabemos o que estas pessoas estavam pensando ou sentindo. Por isso eu gosto de limpar/imantar o meu material de trabalho. 
Imantar significa comunicar (a um metal) a propriedade do ímã, magnetizar. 
Após a compra de um baralho, o mesmo pode ser imantado (limpo) com um incenso, usando a essência de: 
alecrim (proteção); 
cânfora (limpeza); 
lírios (buscar a espiritualidade); 
manjericão (proteção); 
sândalo (para práticas espirituais e harmonizar o ambiente). 
Ou qualquer outro incenso da escolha do cartomante.
Passa-se cada Carta na fumaça do incenso escolhido, usando a força mental (intenção - isso é magia) para que cada carta seja limpa de toda e qualquer energia externa. 
Há quem prefira colocar as cartas sobre um copo com água e sal grosso para fazer a limpeza energética. Mas eu sou da opinião de que devemos usar o elemento correto (ar=mental=incenso) para cada ocasião. Se vamos usar a nossa intenção (poder mental) de limpeza, então devemos nos aliar ao elemento ar, através da fumaça produzida pelo incenso. 
Se preferir, incense o seu baralho toda vez que for começar uma consulta. 


Consagração das cartas

Consagrar significa Tornar Sagrado, oferecer a Deus, por culto ou voto. Consagração é o ritual de energização das cartas para, depois, serem usadas. 
Costumo dizer que a Consagração é o elo de ligação entre mim, os meus guias (que me darão a intuição necessária para a leitura) e, é claro, o baralho. 
Para consagrar as cartas, pode-se apresentá-las aos 04 elementos da natureza (água-taça, fogo-vela, terra-punhal e ar-incenso) antes de serem utilizadas para a consulta. 
Depois apresentá-las a lua crescente ou a lua cheia pedindo à lua que seja dado a luz da intuição no momento das consultas. Mesmo que esteja chovendo ou se estiver nublado, ainda assim, estaremos sob a influência da lua cheia ou crescente. 
Faça a sua oração (Pai Nosso, Ave Maria, Santa Sara ou outra de sua preferência). 
Pode deixar as cartas no sereno (ao relento) sob a luz da lua crescente ou cheia por um tempo (30 minutos ou mais) ou deixá-las a noite toda, mas quem mora em casa, deve ter cuidado para as cartas não voarem com o vento, não serem molhadas pela chuva ou para que um cachorro não coma uma carta. 

Outro trecho do livro Conversas Cartomânticas de Emanuel J Santos: "Ao ritualizarmos, confirmamos que aquele baralho não é mais um baralho de banca ou livraria, mas o único exemplar que possui reverberação e ressonância com o indivíduo específico - o portador...Existe reverberação entre o dono e seu baralho. E parte do dono, ainda que à parte do dono."

Após a Imantação e a Consagração, jamais empreste o seu baralho para ninguém, pois ele não pertence somente à você, mas aos guias que te acompanham. 

Você só vai dar vida ao baralho com o estudo, com a prática, com a vivência mesmo. Use o seu baralho da melhor forma, tire dúvidas, mostre caminhos, dê conselhos, aponte saídas. As cartas darão as respostas. Confie.

Um baralho cigano jamais morre, tamanha energia que ele carrega em si, mas podemos aposentá-lo. Quanto a aposentadoria de um baralho, o que fazer quando ele está gasto demais? É uma pergunta comum:

01) Quando aposento um baralho, eu o guardo para emprestá-lo a um aluno que, ainda não tenha comprado o seu próprio baralho. 

02) Aprendi com a minha querida amiga Sonia Boechat Salema (http://tzaradaestrela.blogspot.com.br/search/label/Magias) que podemos fazer magia com as cartas de um baralho que já foi aposentado, pois, pelo tempo de prática, há muito magnetismo impregnado nele. 
Pega-se uma carta tema: 26-trabalho; 24-amor; 03-viagem... e escreve-se um pedido na carta, escrevemos o nosso desejo na carta, depois podemos levar esta carta conosco (na carteira, por exemplo) ou podemos deixá-la em nosso altar, nos pés de Santa Santa (se tivermos um altar em casa). Fiz esta magia e deu certo. 

Caro(a) leitor(a), 
Escolha o seu baralho, baseado(a) em sua percepção e sensibilidade. Sinta a energia que ele emana. 
Estude, estude e estude sempre. Troque informações. 
Aprofunde o significado de cada carta e aprenda os métodos de leitura. 
Use o seu baralho com carinho e respeito. 
Não empreste o seu baralho a ninguém. Use-o com respeito.
Confie - sempre - na sua intuição!!
Auxilie as pessoas que forem até você em busca de uma resposta, sem permitir que elas se tornem dependentes de você ou do oráculo. Isso é charlatanismo. 
Que seu consulente saia da sua mesa de leitura se sentindo melhor e mais esclarecido. Lembre-se que o dever de um cartomante é resgatar a auto-estima e a auto-confiança de seu consulente, por pior que seja a mensagem dada pelas cartas. 
Não julgue e não imponha crenças em seu consulente. Seja sempre sigiloso e jamais comente nada sobre o seu consulente. Isso é ética profissional.
Seja simples, humilde e não caia na armadilha da vaidade. 
Faça que seu trabalho seja um ponto de luz e que você se torne uma referência em sua profissão. 
Boa sorte em seu caminho.