Carta 16 - A Intuição

Quem me conhece sabe o quanto sou racional. Tenho uma mente agitada, cheia de ideias e pensamentos pulsantes. Costumo brincar que a carta 06 (nuvens) me define, tamanho o burburinho que a minha mente faz...rsrs...a sorte é que costumo colocar as minhas ideias em práticas, logo os meus pensamentos não são em vão. 

Desenvolver a intuição e acreditar nela foi um desafio enorme para mim. Silenciar a mente para ouvir a intuição não é tarefa fácil. Mas sou a prova viva de que é possível sim, desenvolver a intuição, e mais ainda, ampliá-la.


Um oráculo, seja ele qual for, desenvolve (e muito) a intuição do cartomante, através da prática constante. Basta confiar.

Intuição é a capacidade que todos temos de "captar" ou "canalizar" ou "perceber" algumas sensações, emoções, vibrações, palavras, cores, ideias, pensamentos, cenas, cheiros. Isso é natural e todos nós captamos, canalizamos ou percebemos as vibrações emanadas por uma pessoa, por um ambiente ou por um guia espiritual. 

O mais difícil é OUVIR a intuição, para isso é necessário:
01) estar inteiro em cada momento, 
02) estar focado no presente, 
03) silenciar a mente, 
04) esvaziar-se de si mesmo e 
05) entregar-se às mensagens que As Cartas Ciganas transmitem. 
É uma questão de treino, simples assim.

É fundamental ACREDITAR, CONFIAR MESMO no que está sendo intuído ou percebido. Com a prática excessiva eu aprendi a confiar em todas as sensações, em todas ideias e em todas as palavras que surgem na minha mente na hora que estou lendo as cartas. Não descarto nada, por isso estou sempre atenta a tudo, principalmente a mim mesma e nas minhas sensações. Costumo ter ondas enormes de arrepio, que até me incomodam, como se me sufocasse por alguns breves segundos, mas já identifiquei que estou no caminho certo, quando sinto estes arrepios.

Outro ponto importante: quando o consulente chega fisicamente, o seu mentor espiritual se comunica com o mentor espiritual do cartomante, numa verdadeira interação, ondes eles "trocam informações" energéticas para auxiliar o intermediário/cartomante na transmissão das mensagens. 

Muitas vezes as mensagens são passadas com doçura, outras vezes são passadas de uma forma bem dura, dependendo da resistência e/ou da necessidade do consulente. É justamente a doçura ou a dureza que o consulente precisa naquele momento, para absorver a mensagem. 

Outro detalhe, aprendi com o Gasparetto que não existe obsessor, o que existe mesmo é convidado. Se não quer atrair um obsessor (ou uma energia que "ainda" não tem entendimento) mantenha uma postura positiva diante da vida. É claro que, às vezes, nos desequilibramos, sentimos  medo, temos pensamentos ruins, mas devemos recuperar a confiança rapidamente, pois o sol vai bater na sua janela no dia seguinte. Manter bons pensamentos é fundamental.

Alguns alunos me perguntam o que fazer se o consulente chegar com algum obsessor. Respondo com a maior tranquilidade que para isso preparamos a mesa de leitura com os quatro elementos (terra, água, ar e fogo), que garantem o nosso equilíbrio emocional e energético. Outro ponto importante é que a atitude interna (de confiança) é o melhor escudo de proteção que alguém pode ter, aliado (na confiança) aos protetores espirituais, o consulente vai ter a disposição dele um exército de luz para atendê-lo. Entenda que o obsessor do consulente não é mais forte que os seus mentores espirituais. 

Acredito cegamente que nenhuma energia desordenada vai atrapalhar o meu trabalho - parto deste princípio e ponto!! Se o consulente estiver, espiritualmente, mal acompanhado, ele e o seu convidado terão a oportunidade de se esclarecerem e de evoluírem no momento da consulta, podendo, através do entendimento, se libertarem das amarras que os unia anteriormente. 

Pesquisando na internet, descobri que a Intuição:

Em psicologiaintuição é o raciocínio que se usa para chegar a conclusão é puramente inconsciente (=alma), fato que faz muitos acreditarem que a intuição é um processo paranormal ou divino. Seu funcionamento e até mesmo sua existência são um enigma para a ciência. Apesar de já existirem muitas teorias sobre o assunto, nenhuma é dada ainda como definitiva. A intuição leva o sujeito a acreditar com determinação que algo poderá acontecer.

Do latim intuitione, formato a partir da união de "in-" (em, dentro) e "tuere" (olhar para, guardar). No português, provavelmente uma inflexão do francês "intuition" (contemplação, conhecimento imediato, pressentimento que nos permite adivinhar o que é ou deve ser), originado do latim.

Para a Sociologia intuição é considerada uma das fontes da verdade utilizada por milhares de anos para trazer orientação e explicar fatos ao homem. Como conceito, a intuição é definida como a capacidade de perceber, discernir ou pressentir uma explicação independentemente de qualquer raciocínio ou análise. A intuição pode ser responsável pela elaboração de hipóteses que posteriormente poderão ser comprovadas ou não. Ela não é satisfatória como fonte de conhecimento pela dificuldade de ser testada.

Carl Jung dizia sobre o conhecimento intuitivo: “Cada um de nós tem a sabedoria e o conhecimento que necessita em seu próprio interior”

Links sugeridos:


http://www.pro-fit-rh.com.br/artigos/ar2_intuicao.html
(excelentes dicas para desenvolver a intuição, em especial o item 02) 





Dedico este post a um grande mestre chamado Luiz Antonio Gasparetto, a quem eu tenho muito respeito e muita gratidão. 
Fiz parte da sua primeira turma de Conselheiros Metafísicos do Rio de Janeiro e participei do seu curso Filhos da Luz por um ano. 
Aprendi muito em suas aulas dinâmicas, principalmente a confiar mais e a desenvolver a minha intuição.