A conduta de um cartomante - Por Tânia Durão

A conduta ou a postura são fundamentais na vida de qualquer pessoal, ainda mais na área profissional. Isso dá credibilidade ao serviço que estamos prestando.

O comprometimento com o estudo é eterno, estude muito para se aprofundar, cada vez mais, no significado das cartas e suas combinações. Crie uma intimidade com as cartas. Teste vários métodos de leitura até encontrar aquele que você se identifica mais. Se quiser, crie o seu próprio método de leitura. Confie.

Sempre digo aos meus alunos que, mais que receber, podemos acolher um consulente com calma e alegria. Um belo sorriso ilumina o dia de quem está nervoso ou com baixa estima. 

Ser cartomante é estar em equilíbrio para atender. Eu me esvazio de mim, na hora da consulta. Todo e qualquer consulente (ou aluno) que chega até mim, vai encontrar (sempre) um ambiente limpo, organizado e harmonioso. 

A mesa de leitura já estará pronta, aguardando a chegada do consulente. E sempre pergunto se posso acender o incenso, pois algumas pessoas tem rinite alérgica e ficam incomodadas com a fumaça. Confesso que eu mesma não gosto da fumaça sobre mim. 

Esteja presente, inteiro(a), com a sua atenção 100% focada no consulente. Esqueça-se de si mesmo para SENTIR o seu consulente. Desenvolva o hábito de olhar, aprenda a ouvir sem interromper e sem julgar, permita que o seu consulente conclua a frase ou o raciocínio dele. Ouça o desabafo dele. 

Busque a empatia com o seu consulente, procure se colocar no lugar dele, como você se sentiria? e como agiria ou reagiria, se estivesse passando pela experiência dele? Explore como ele se sente. 

Entenda toda a dificuldade do seu consulente em se expressar e receba a sua "confissão" com Respeito. Entenda que há assuntos (ou segredos bem guardados) que ele não ousou compartilhar com ninguém e o ambiente harmonioso que você está oferecendo o estimulou a falar e a se entregar. O desabafo dele vai tirar um peso enorme das costas e ele sairá mais leve do seu atendimento. 

Tenha sempre em mente que o seu consulente tem que sair melhor do que entrou da sua mesa de leitura. Isso significa que ele deve sair equilibrado e esclarecido em suas questões.  

Evite, ao máximo, falar de si ou sobre a sua vida. Acredite, o consulente não está interessado em ouvir, ele quer falar e ser ouvido. 

Não caia na armadilha da vaidade, este é um caminho muito perigoso. Todo o cuidado com a vaidade é pouco, pois as pessoas que não confiam em si mesmas, transferem um "falso poder" para o cartomante, que não existe, não caia nesta armadilha!! 

Faça o seu trabalho com honestidade e principalmente HUMILDADE, pois uma cartomante nada mais é do que um mediador (ou canal) entre o físico e o espiritual, não se esqueça. "Que você seja um instrumento de vossa paz".

Não julgue e não critique, lembre-se que você não é um juiz e que a sua mesa de leitura não é um tribunal. 

As Cartas Ciganas não estão vinculas a nenhuma religião. Portanto, não imponha as suas crenças religiosas. Seu consulente não foi até você em busca de dogmas ou sermões. 

Sigilo absoluto e discrição total é o que o consulente espera de um bom profissional. Não comente com ninguém o que as cartas disseram e esqueça, realmente, o que foi dito. Desligue-se do consulente assim que ele for embora. 

Ao encerrar uma consulta, volte-se para você mesmo e faça as tarefas normais da sua rotina. Preencha-se de você mesmo. 


Indico uma leitura demorada (e reflexiva) deste maravilhoso texto da minha amiga Sonia Boechat. 

http://tzaradaestrela.blogspot.com.br/2013/12/ora-direis-ouvir-estrelas-olavo-bilac.html