Carta 26 x Carta 16 (26=Intelecto x 16=Intuição) - Por Tânia Durão

Começo dizendo que sou (e sempre fui) exageradamente racional e, sem falsa modéstia, sou muito inteligente. Por conta do meu excesso de pensamento, às vezes chego a exaustão, afinal sou libra (ar) com ascendente em gêmeos (ar), embora os  meus conhecimentos em astrologia sejam nulos. Mas sei que tenho dois signos de ar, o que favorece o pensamento, a busca por informação, através do estudo e da pesquisa. Uma prima, certa vez me disse que, às vezes, pareço uma erudita, por estar sempre lendo ou estudando. Concordo, em parte, com ela. 

Em função da minha curiosidade perene, eu tenho uma sede inesgotável por conhecimentos. Gosto de me sentir estimulada a adquirir novos assuntos ou aprofundar os mesmos.

Ás vezes penso que nasci para pensar, por ser tão prática e objetiva. Me orgulho em ser bem intelectual, além de possuir uma razoável cultura geral.

Mas a vida não é feita exclusivamente de razão. Afinal somos seres que sentimos... e somos seres que percebemos...

Vez por outra, as pessoas me perguntam se tenho o dom de ler as cartas, se recebo santo ou se sou médium...ok, tenho a oportunidade de esclarecer estas questões:

O único dom que possuo é o da percepção (e isso com muito treino). Na qualidade de terapeuta, percebo como um consulente chega até a mim, como está vestido, como caminha, ouço a sua voz, olho com atenção para os seus gestos, como embaralha as cartas, observo a sua respiração. Treinei muito para ampliar a minha percepção. Este é o meu único dom...adquirido. 

Não, não recebo santo (ou santa) nenhum(a). Recebo apenas as emoções emanadas pelo consulente na hora da consulta, como recebo as minhas próprias sensações. E, é lógico, recebo a intuição emanada pelos mestres que me acompanham. Mas santo mesmo, eu nunca recebi.

Sinto muito em desapontá-los, mas não sou médium, até porquê não sigo nenhuma religião. Sou espiritualista, acredito no espírito e em sua evolução. Na verdade sou sensível (ou sensitiva), pois aprendi a desenvolver as minhas percepções, através dos meus cinco sentidos. Simples assim. Como? Observando! Simples assim.

Mas só estudar basta? Respondo com um sonoro NÃO!! A prática é fundamental. Falo sem a menor vergonha, que treinei e treinei durante um ano inteiro para me sentir segura o bastante para ler As Cartas Ciganas...e continuo treinando e pesquisando e treinando e pesquisando...sempre é possível aprender mais e mais. A fluidez, a rapidez e a segurança são trazidas pelos anos de prática...e bota prática nisso.

Gosto de conhecer as coisas, inclusive o significado das palavras, por isso descrevo abaixo, o significado de algumas delas.

Médium significa metade, mediador, meio ou intermediário, ou seja, aquele que percebe (ou transita) o mundo material e o mundo espiritual. Logo ele é um sensitivo (gosto mais desta palavras), pois desenvolveu a sua percepção. 

Percebemos o mundo através dos nossos cinco sentidos: 
visão, audição, tato, paladar e olfato. 

Há três tipos de pessoas:

a) as visuais e quando desenvolvem a visão, tornam-se clarividentes, pois conseguem ver com clareza.

b) as auditivas e quando desenvolvem a audião, tornam-se clariaudientes, pois conseguem ouvir com clareza. 

c) as que possuem o tato desenvolvido, tornam-se cinestésicas, pois conseguem sentir na pele com clareza (este é o meu caso).

Nota: é muito difícil encontrar uma pessoa que tenha desenvolvido a percepção através olfato e do paladar.

Para  desenvolver um sentido, basta estar relaxado, treinar muito e ter uma boa dose de paciência. 

Intuição (do latim intuire) é o famoso sexto-sentido ou percepção extra-sensorial, é aquele pressentimento (ou sentimento elevado), é aquela voz interna que nos sussurra ou é aquele momento de grande lucidez e calma, no qual temos certeza do que precisamos fazer ou dizer. É quando nos sentimos iluminados ou inspirados. Para isso, basta silenciar a mente e esperar, como um observador.

Eu realmente estava inspirada para escrever este post. E sabe o que significa a palavra Inspirado? Significa: Em espírito.

Entre intelecto e intuição? eu fico com os dois!

Entre razão e emoção? eu fico com os dois!

São estas as ferramentas que me auxiliam a ler As Cartas Ciganas. 



Dedico este post a Victor Magalhães, um aluno (e amigo!) muito querido. Veio até mim através deste blog, é um buscador incansável, além de muito curioso, quer aprender mais e mais. 
Sua sensibilidade me estimula a crescer e a compartilhar o que venho aprendendo.
Te gosto de montão. bjs